Israel não descobriu cura ou vacina para o coronavírus

Por Luiz Fernando Menezes

18 de março de 2020, 13h36


Publicações que circulam nas redes sociais enganam ao dizer que Israel descobriu a cura para o coronavírus (veja aqui). A reportagem em vídeo compartilhada com essas postagens mostra, na verdade, o processo de desenvolvimento de uma vacina que, segundo os cientistas responsáveis, pode estar disponível em maio. Em nenhum momento o vídeo afirma que o medicamento já existe ou que a cura da infecção pelo novo coronavírus foi encontrada.

Segundo a reportagem, o Instituto de Pesquisa da Galiléia (Migal), em Israel, criou uma vacina contra um tipo de coronavírus que afeta aves e, agora, tenta adaptar essa substância contra o novo Sars-Cov-2.

O vídeo com a informação falsa no título foi publicado no Youtube pelo canal Pátria Amada PE no dia 14 de março. Nesta quarta-feira (18), o conteúdo já havia acumulado mais de 12.700 compartilhamentos no Facebook. Todas as publicações foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (entenda como funciona).


FALSO

URGENTE! ISRAEL descobriu a cura para o CORONAVIRUS.... Vacina.

O vídeo de uma reportagem do Jornal da Record veiculada em 28 de fevereiro tem sido compartilhado nas redes sociais como se mostrasse que Israel já teria descoberto a cura para a Covid-19. O próprio vídeo, porém, deixa claro que a vacina ainda está em fase de desenvolvimento, e que os cientistas israelenses estimam que o medicamento pode estar pronto em maio.

A reportagem é baseada num anúncio feito no dia 27 de fevereiro pelo Instituto de Pesquisa da Galiléia (Migal) de que seus pesquisadores estão tentando adaptar, para o combate ao novo coronavírus, uma vacina já criada por eles contra outro tipo de coronavírus que provoca bronquite infecciosa em aves.

No comunicado, o CEO do instituto, David Zogdon, afirma que o “objetivo é produzir a vacina durante as próximas 8 a 10 semanas e obter aprovação de segurança em 90 dias". Segundo ele, o instituto está em "intensas discussões com parceiros em potencial que podem ajudar a acelerar a fase de testes em humanos e agilizar o desenvolvimento do produto final e as atividades regulatórias”.

Conforme pode ser verificado no site da OMS (Organização Mundial da Saúde) sobre o novo coronavírus, ainda não existe nenhuma vacina ou remédio que cure ou sequer previna a Covid-19. “Possíveis vacinas e alguns tratamentos específicos estão sob investigação. Eles estão sendo verificados por meio de testes clínicos”, diz a organização.

Esta é a segunda falsa cura da infecção do coronavírus checada por Aos Fatos. Na última sexta-feira (13), foi desmentida a informação de que Cuba teria desenvolvido uma vacina para a Covid-19. Na verdade, o remédio cubano que vem sendo aplicado em infectados trata-se de um antiviral utilizado há anos no tratamento de outras doenças.

Versões semelhantes da mesma desinformação circularam também nas redes dos Estados Unidos, da Nigéria e da Índia, tendo sido verificadas por sites como a AFP Fact Check, Africa Check e India Today. Aqui no Brasil, ela já foi checada pelo Boatos.org e pela Agência Lupa.

Referências:

1. R7
2. Migal.org
3. OMS
4. Aos Fatos


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.