Incêndio na França não teve relação com eleições e não há indícios de atuação da extrema-esquerda

Compartilhe

Não é verdade que um incêndio na comuna francesa de Bobigny tenha sido causado por manifestantes de extrema-esquerda após a divulgação do resultado do primeiro turno das eleições legislativas da França. Segundo a Prefeitura de Seine-Saint-Denis, departamento em que está localizada a província, as chamas tiveram início às 17h30, duas horas antes do anúncio eleitoral, e não têm qualquer relação com o pleito.

As publicações enganosas somavam ao menos 2 mil compartilhamentos no Facebook até a tarde desta segunda-feira (1). O conteúdo também circula no WhatsApp, plataforma em que não é possível estimar o alcance dos conteúdos (fale com a Fátima).

Leia mais
WHATSAPP Inscreva-se no nosso canal e receba as nossas checagens e reportagens

[França] Extrema-esquerda começa a vandalizar ruas após derrota

Posts utilizam vídeo antigo para afirmar que manifestantes de esquerda teriam incendiado prédio por conta do resultado das eleições.

Publicações nas redes têm compartilhado o vídeo de um incêndio alegando que ele teria sido causado por manifestantes de extrema-esquerda após a divulgação do resultado do primeiro turno das eleições parlamentares na França, no domingo (30). O pleito registrou uma vitória do partido de extrema-direita Reunião Nacional, liderado por Marine Le Pen.

A gravação mostra o momento em que o pavimento térreo de um prédio arde em chamas na comuna francesa de Bobigny, localizada no departamento de Seine-Saint-Denis. Em nota divulgada no X (ex-Twitter), a prefeitura local informou que o fogo teve início às 17h30, duas horas antes do início da divulgação dos resultados iniciais do pleito, às 20h30. Segundo a municipalidade, não há qualquer relação entre o incêndio e as eleições legislativas.

Além disso, as peças enganosas não apresentam nenhuma prova de que manifestantes de esquerda teriam dado início ao fogo mostrado na gravação.

É fato, no entanto, que o resultado das eleições legislativas provocou manifestações por toda a França. Cidades como Lyon, Nantes e a capital Paris registraram protestos contra a vitória do Reunião Nacional. Há registro de confrontos com a polícia local e também da presença de manifestantes de esquerda.

Eleições antecipadas. Após sofrer uma derrota no Parlamento Europeu, o presidente francês Emmanuel Macron dissolveu o parlamento no dia 9 de junho e convocou eleições nacionais antecipadas — até então, o pleito estava marcado para ocorrer somente em 2027.

O primeiro turno aconteceu neste domingo (30) e foi marcado pela vitória do Reunião Nacional com 33% dos votos. Em segundo lugar está a Nova Frente Popular, bloco de partidos de esquerda que angariou 28% dos votos. O bloco centrista liderado por Macron terminou em terceiro lugar, com 20% dos votos.

Após a divulgação dos resultados, Macron sugeriu a criação de uma aliança democrática contra o avanço da extrema-direita no país. O segundo turno está marcado para o próximo domingo, dia 7 de julho.

Referências

  1. AA
  2. Valor Econômico
  3. g1 (1 e 2)

Compartilhe

Leia também

Ações clandestinas da ‘Abin paralela’ realçam violências reais

Ações clandestinas da ‘Abin paralela’ realçam violências reais

falsoIdosa foi presa por tráfico, não por participar dos atos golpistas do 8 de Janeiro

Idosa foi presa por tráfico, não por participar dos atos golpistas do 8 de Janeiro

falsoLula devolveu 423 presentes recebidos durante mandatos anteriores

Lula devolveu 423 presentes recebidos durante mandatos anteriores