Hospital de Campanha do Pacaembu não está vazio nem faz triagens

Por Luiz Fernando Menezes

9 de abril de 2020, 16h50


É falso que o hospital de campanha erguido no estádio do Pacaembu, em São Paulo, para atender pacientes com Covid-19 estaria vazio, como sustenta um homem não identificado em vídeo que circula nas redes sociais (veja aqui). Na manhã da última quarta-feira (8), quando a gravação teria sido feita, a unidade de saúde municipal estava no terceiro dia de funcionamento, já tratava 22 pessoas e esperava a transferência de mais 10.

Tampouco é verdade, como afirma o homem no vídeo, que esse hospital faz a triagem de todos os casos confirmados de Covid-19 na capital paulista. A unidade recebe pacientes de baixa e média complexidade encaminhados por outros hospitais.

O vídeo enganoso reunia ao menos 60 mil compartilhamentos no Facebook até a tarde desta quinta-feira (9) e foi marcado com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (saiba como funciona). O conteúdo também se espalhou pelo WhatsApp, tendo sido enviado por leitores como sugestão de checagem (inscreva-se).


FALSO

Fala pessoal, tô aqui no Pacaembu (...). Aqui é a central da epidemia. Todo mundo que tá com problemas aí vem pra cá passar por uma triagem. Enfim, tem todo um cenário de guerra montado lá dentro, tendas. Mas olha isso, olha isso. Olha isso, gente. Vazio. Não tem ninguém.

Circula nas redes sociais o vídeo em que um homem caminha na parte externa do estádio do Pacaembu, em São Paulo, e afirma que estaria vazio o hospital de campanha montado na arena para atender pessoas com Covid-19, o que não é verdade. A unidade de saúde foi inaugurada no dia 6 de abril e já atendia 22 pacientes na quarta-feira (8), dia da gravação.

Segundo boletim publicado pela Prefeitura de São Paulo um dia antes do vídeo, em 7 de abril, além dos 22 internados, o hospital de campanha esperava a chegada de mais 10 pacientes transferidos de outras unidades. A capacidade total, segundo a secretaria, é de 200 leitos.

Também é falso que o hospital seria “a central da epidemia” e que “todo mundo que tá com problemas aí vem pra cá passar por uma triagem”, como afirma o homem no vídeo. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, ela recebe apenas pacientes transferidos de outros hospitais.

“O objetivo do HMCamp é liberar os leitos dos hospitais municipais, de maior complexidade para internação de pacientes com quadros mais graves, particularmente aqueles com necessidade de internação em unidade de terapia intensiva (UTI)”, afirma a nota do órgão.

Até às 19h da última quarta-feira (8), o estado de São Paulo já registrava 6.708 casos confirmados e 428 óbitos decorrentes da Covid-19. Desses, 4.947 casos e 339 mortes só na capital.

A Agência Lupa também checou como falso este vídeo.

Referências:

1. Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo (Fontes 1 e 2)
2. Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.