Gráfico distorcido sobre resultados eleitorais na Flórida não foi veiculado por TV americana

Compartilhe

Não é verdade que uma emissora de TV dos EUA tenha distorcido um gráfico de barras para mostrar Joe Biden à frente de Donald Trump na eleição na Flórida apesar de o democrata ter uma proporção de votos menor (veja aqui). Segundo publicações que circulam nas redes, a distorção mostraria o desespero da imprensa americana. No entanto, o gráfico com o erro foi veiculado pela emissora ENCA, da África do Sul, na terça-feira (3). Mesmo com a imagem distorcida no ar, o apresentador do programa South African Morning deu a informação correta de que Trump estava à frente de Biden no estado.

Compartilhada nas redes brasileiras por perfis pessoais no Twitter e no Facebook, a publicação acumulava ao menos 10 mil compartilhamentos na segunda rede social até a tarde desta sexta-feira (6). Todas as postagens foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de monitoramento da plataforma (saiba como funciona).


FALSO

O desespero da imprensa americana é tão grande que o gráfico de 51.3% de Trump é menor que os 47.8% do esquerdopata Biden!!! Ou estou vendo errado?

Publicações que circulam nas redes sociais compartilham um gráfico veiculado por um programa de televisão que mostra barras desproporcionais ao apresentar a apuração de votos da eleição americana na Flórida. Apesar de Donald Trump estar à frente de Joe Biden, a imagem indica o contrário, o que, segundo as postagens, mostraria o desespero da imprensa americana. O gráfico errado, porém, foi transmitido pelo South African Morning, da emissora sul-africana ENCA.

Apesar de não fazer nenhum tipo de comentário sobre o problema na imagem, o apresentador do programa afirma que “em termos desse swing state [termo usado para definir estados em que não há uma preferência partidária definida], parece que Donald Trump vai levar a Flórida e garantir outros 29 votos do colégio eleitoral”.

Na edição, que foi ao ar na última terça-feira (3), um grupo de jornalistas discute os resultados prévios nos estados americanos da Pensilvânia, do Arizona e da Flórida e os comparam com os registrados nas eleições anteriores, em 2016. Naquele dia, em todas as regiões mostradas, Donald Trump aparecia à frente. Nesta sexta-feira (6), com 99% das urnas apuradas, o estado registrava 51,2% dos votos para Donald Trump, contra 47,9% para Joe Biden.

Essa não é a primeira vez que peças de desinformação sobre as eleições americanas fazem menção a uma suposta manipulação da imprensa. Publicação checada por Aos Fatos na última quinta-feira (5) afirmava que a mídia, apoiada por candidatos democratas, havia interrompido a contagem dos votos no país. Ao longo desta semana, também verificamos denúncias falsas de fraudes em estados como Michigan, Wisconsin e Arizona.

Referências

  1. The Guardian
  2. Aos Fatos (1, 2, 3 e 4)

Compartilhe

Leia também

Pablo Marçal descumpre lei eleitoral ao remunerar seguidores na pré-campanha, dizem especialistas

Pablo Marçal descumpre lei eleitoral ao remunerar seguidores na pré-campanha, dizem especialistas

Atentado contra Trump aponta riscos de uma moderação enfraquecida nas ‘big techs’

Atentado contra Trump aponta riscos de uma moderação enfraquecida nas ‘big techs’

falsoServiço Secreto não desautorizou disparo em autor de atentado contra Trump

Serviço Secreto não desautorizou disparo em autor de atentado contra Trump