Foto mostra mulher trans, não atirador que matou 21 pessoas em escola nos EUA

Por Luiz Fernando Menezes

26 de maio de 2022, 15h02

Não é Salvador Ramos, que matou a tiros nesta semana 21 pessoas em uma escola em Uvalde, no Texas (EUA), a mulher transgênero que aparece em imagem que circula nas redes sociais (veja aqui). A foto mostra Sam, de 20 anos, que mora na Geórgia. Já o atirador foi morto pela polícia após o ataque.

Postagens com a alegação enganosa somavam ao menos mil curtidas no Instagram, centenas de compartilhamentos no Facebook e também circulam no Telegram e no WhatsApp, onde não é possível medir com precisão o alcance (Fale com a Fátima).


Selo falso

Foto do atirador que matou 19 crianças em Uvalde, no Texas, ontem

Foto mostra garota transgênero, não atirador que matou crianças no Texas

Publicações que circulam nas redes sociais enganam ao afirmar que a mulher trans que aparece na foto seria o atirador que matou 21 pessoas em uma escola primária no Texas, nos EUA, na terça-feira (24).

Sam, a jovem na imagem, tem 20 anos e mora no estado americano da Geórgia. Já o responsável pelo atentado na escola primária foi Salvador Ramos, 18 anos, morto pela polícia após o ataque em Uvalde.

Na foto, Sam aparece vestindo saia, meia-calça e com uma bandeira do orgulho trans. A foto foi retirada de seu perfil no Instagram e publicada no site 4chan horas após o tiroteio. Um dia depois do atentado, ela publicou uma foto no Instagram segurando um papel com a data “25 de maio de 2022” e a legenda “prova de que não sou o atirador morto no Texas”.

Foto publicada na quarta-feira mostra Sam segurando papel com data posterior ao tiroteio.
Prova. Sam publicou foto no dia 25 de maio para provar que não é o atirador, morto na terça-feira (24).

“Não é a primeira vez que sou assediada, mas é a primeira vez que sou acusada de assassinato”, disse ela, que não revela seu sobrenome por medo de ataques, em entrevista a emissora NBC. A reportagem afirma que fotos de outras mulheres transgênero foram usadas nas redes sociais como se mostrassem o autor do massacre.

Não há indícios de que Salvador Ramos, o verdadeiro autor dos ataques, tenha se identificado como mulher trans. Ex-colegas e familiares de Ramos afirmaram à mídia americana que o atirador sofria bullying na escola por dificuldades na fala e pelas roupas que usava.

A peça de desinformação circulou inicialmente nas redes americanas, foi disseminada por parlamentares dos EUA e depois passou a circular em outras línguas. A publicação enganosa foi desmentida por agências de checagem como o PolitiFact e o India Today.

Referências:

1. O Globo (1 e 2)
2. R7
3. Instagram (@NSFW_transgirlart 1 e 2)
4. NBC
5. Trans Safety
6. CNN Brasil
7. Business Insider


Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.


Esta reportagem foi publicada de acordo com a metodologia anterior do Aos Fatos.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.