Foto em que deputados apontam para cartaz pela valorização do corpo é montagem

Por Priscila Pacheco

2 de julho de 2021, 19h10

É uma montagem a foto que circula nas redes sociais (veja aqui) em que deputados aparecem apontando para um cartaz a favor da valorização do corpo da mulher. No registro original, os congressistas fazem o gesto na direção de uma cópia do superpedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro, protocolado na Câmara nesta quarta-feira (30). A imagem manipulada tem sido usada em posts para criticar o deputado Kim Kataguiri (DEM-SP) por ter endossado o pedido ao lado de parlamentares de esquerda.

Nesta sexta-feira (2), a montagem reunia dezenas de compartilhamentos e foi marcada com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (entenda como funciona). No Twitter, o conteúdo enganoso já foi compartilhado centenas de vezes.


Foi manipulada digitalmente uma imagem que circula nas redes sociais em que deputados federais apontam para um cartaz que incentiva a valorização do corpo da mulher. Na realidade, o registro mostra uma cópia do superpedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), protocolado na Câmara nesta quarta-feira (30).

A imagem original foi publicada pelo vereador paulistano suplente William de Lucca (PT) em sua conta autenticada do Twitter no dia em que o pedido foi entregue no Congresso. Ao Aos Fatos, De Lucca disse não saber a autoria da imagem e que a recebeu em um grupo de ativistas. O jornal Correio da Bahia usou a mesma foto como reprodução para ilustrar matéria sobre a requisição de impeachment.

Cena similar à da foto aparece ainda em um vídeo gravado pela equipe da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL-RS). Na gravação, os parlamentares aparecem apontando para o documento.

O superpedido de impeachment protocolado nesta semana é o 125º recebido pela Câmara. O documento lista 23 tipos de acusações criminais que teriam sido cometidos por Bolsonaro e conta com 46 assinaturas, de integrantes de movimentos e partidos de esquerda, de centro e de direita.

Aos Fatos não conseguiu localizar a origem nem a autoria da montagem, mas verificou que ela tem sido usada para criticar um dos nomes à direita que endossou o pedido, o deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP), liderança do MBL (Movimento Brasil Livre). Ele foi atacado por bolsonaristas nas redes por ter aparecido no ato em que o documento foi protocolado ao lado de parlamentares de esquerda.

Referências:

1. Jornal Correio
2. Twitter William de Lucca
3. Twitter Fernanda Melchionna
4. TSE


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.