Foto de saudação a tanque militar é da Revolução Cubana, não de 1964 no Brasil

Compartilhe

Uma foto de um tanque de guerra sendo saudado por pessoas na rua tem sido difundida nas redes sociais como se mostrasse o apoio da população às Forças Armadas no Brasil em 1964, ano do golpe militar (veja aqui). No entanto, a fotografia é de 1ª de janeiro de 1959 e registra a passagem de Fidel Castro por ruas de Santa Clara (Cuba) após a vitória da Revolução Cubana sobre o regime do ditador Fulgêncio Batista. A imagem está disponível no site da agência Magnum Photos.

Postagens com a informação enganosa contam com ao menos 19.200 compartilhamentos no Facebook nesta terça-feira (16) e foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da plataforma ‌(‌saiba‌ ‌como‌ ‌funciona‌).


1964, Povo nas ruas ao lado das forças armadas. Convido pro nosso Grupo de Direita Sejam Bem Vindos😎👉


Publicações nas redes sociais compartilham uma foto da vitória da Revolução Cubana como se fosse de 1964 no Brasil e retratasse o apoio da população às Forças Armadas e ao golpe militar. Na verdade, a imagem foi registrada pelo fotógrafo Burt Glinn em 1ª de janeiro de 1959 e mostra a passagem de Fidel Castro e outros guerrilheiros em Santa Clara, cidade cubana, após a derrota do regime do ditador Fulgêncio Batista.

A imagem difundida pelas peças de desinformação está disponível no site da Magnum Photos, agência à qual Glinn se associou em 1951, com outras fotografias e informações sobre a cobertura fotográfica que o profissional fez da Revolução Cubana.

Referências

  1. Magnum Photos (1 e 2)
  2. Deutsche Welle

Compartilhe

Leia também

falsoVídeo de Kamala Harris dizendo que ‘hoje é hoje’ foi alterado por IA

Vídeo de Kamala Harris dizendo que ‘hoje é hoje’ foi alterado por IA

falsoJanja não tem relação com escolha do uniforme do Brasil para a Olimpíada

Janja não tem relação com escolha do uniforme do Brasil para a Olimpíada

Maduro mente ao alegar que votação brasileira não é auditada e ignora denúncias sobre eleições venezuelanas

Maduro mente ao alegar que votação brasileira não é auditada e ignora denúncias sobre eleições venezuelanas