Foto de papa Francisco fumando maconha com Evo Morales é montagem

Compartilhe

É uma montagem a foto em que o papa Francisco aparece fumando maconha observado pelo ex-presidente da Bolívia Evo Morales. A montagem (veja aqui) que vem sendo compartilhada nas redes brasileiras usa uma imagem registrada em 2013 no Vaticano em que o sumo pontífice aparecia sozinho, mandando um beijo.

A foto editada tem viralizado nesta semana, mas antes já havia sido compartilhada como peça de humor nas redes estrangeiras. No Brasil, publicações já acumulavam mais de 2.000 compartilhamentos até a tarde desta terça-feira (29). Todas elas foram sinalizadas na ferramenta de verificação da rede social (entenda como funciona).


FALSO

Vem sendo compartilhada nas redes sociais uma imagem em que o papa Francisco aparece fumando ao lado do ex-presidente boliviano Evo Morales. Trata-se, no entanto, de uma montagem feita com outra foto do pontífice na qual ele manda um beijo. Registrada em dezembro de 2013, a imagem real (à direita) é de autoria do fotógrafo Vicenzo Pinto, da AFP.

Já o rosto de Morales inserido na imagem foi tirado de uma foto em que o ex-presidente mostra uma folha de coca. Registrada por Juan Karita, da AP, ela mostra o boliviano apoiando uma manifestação de cultivadores da planta em janeiro de 2013.

A montagem que vem circulando no Brasil apareceu antes em redes sociais estrangeiras em páginas de humor e paródias. O Aos Fatos encontrou publicações semelhantes em italiano e espanhol desde setembro de 2017.

O Fato ou Fake e o Boatos.org também desmentiram a postagem.

Compartilhe

Leia também

falsoPosts usam foto de outra pessoa para sugerir que autor de atentado contra Trump era trans

Posts usam foto de outra pessoa para sugerir que autor de atentado contra Trump era trans

Pré-candidato, Marçal oferece prêmio a seguidores e especialistas veem infração eleitoral

Pré-candidato, Marçal oferece prêmio a seguidores e especialistas veem infração eleitoral

Atentado contra Trump aponta riscos de uma moderação enfraquecida nas ‘big techs’

Atentado contra Trump aponta riscos de uma moderação enfraquecida nas ‘big techs’