Foto de hospital recém-aberto em Santo André engana ao sugerir que sistema de saúde está vazio

Por Luiz Fernando Menezes

18 de abril de 2020, 15h13


A foto de uma enfermaria com leitos vazios vem sendo compartilhada para sugerir que o impacto do novo coronavírus no estado de São Paulo está sendo exagerado. A imagem, porém, mostra o recém-inaugurado hospital de campanha do Complexo Pedro Dell’Antonia, em Santo André (SP), que só começou a receber pacientes na sexta (17). As postagens também omitem que o único outro hospital que trata Covid-19 na cidade já atingiu ocupação máxima e que dez instituições públicas na Grande São Paulo estão com mais de 80% dos leitos de UTI ocupados.

A foto fora de contexto tem sido compartilhada em perfis pessoais e páginas bolsonaristas no Instagram e no Facebook. Até a tarde deste sábado (18), as postagens acumulavam ao menos 80 mil compartilhamentos na última rede social. Todas foram marcadas com o selo DISTORCIDO na ferramenta de verificação da plataforma (saiba como funciona).


DISTORCIDO

Uma foto de funcionários parados em um corredor de leitos vazios vem sendo compartilhada nas redes para sugerir que os hospitais estariam vazios e que a gravidade da pandemia de Covid-19 estaria sendo exagerada. A foto de fato foi retirada no hospital de campanha do Complexo Pedro Dell’Antonia, em Santo André (SP), mas as postagens omitem que a instalação só passou a funcionar na tarde da última sexta-feira, quando foram encaminhadas as três primeiras pacientes.

Aos Fatos não encontrou a foto em busca reversa, mas identificou que a imagem foi registrada na unidade de saúde por meio da comparação com outras imagens. A assessoria da prefeitura de Santo André disse por telefone à reportagem que o hospital temporário com 180 leitos foi inaugurado na quarta-feira (15), mas começou a atender apenas na sexta (17), quando foram transferidas três mulheres idosas com quadros de baixa complexidade. De acordo com a assessoria, a foto deve ter sido tirada entre esses eventos, ou seja, quando o hospital ainda não estava realizando atendimentos.

Em vídeo gravado durante a inauguração, o prefeito Paulo Serra (PSDB) explicou que o hospital é uma medida antecipada “para que a gente não chegasse nesse momento e corresse o risco de não ter capacidade de atendimento”. Na entrevista, Serra ainda faz a previsão de que os equipamentos já começariam a ser utilizados no final de semana.

Os hospitais de campanha são estruturados para receber pacientes suspeitos e confirmados de Covid-19 transferidos de outras unidades. Segundo a prefeitura, outros dois hospitais de campanha estão sendo preparados: um no Estádio Bruno José Daniel e outro na UFABC (Universidade Federal do ABC), totalizando 400 novos leitos.

Lotação de hospitais. Segundo a prefeitura de Santo André, todos os leitos destinados a casos suspeitos e confirmados de Covid-19 no Centro Hospitalar Municipal Dr. Newton da Costa Brandão, referência para o tratamento da doença na cidade, atingiram a ocupação máxima nesta semana. Sendo assim, as próximas transferências serão direcionadas aos hospitais de campanha. Na sexta-feira, Santo André já registrava 222 casos confirmados da infecção e 10 mortes decorrentes do novo coronavírus.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo, cerca de 5.700 casos suspeitos e confirmados de Covid-19 se encontravam internados até o dia 17, sendo que 2.275 desses ocupavam leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Até quinta-feira (16), seis hospitais estaduais de São Paulo já tinham ao menos 80% dos leitos UTIs ocupadas. Na capital, quatro hospitais municipais — Tide Setúbal, Cidade Tiradentes, Ermelino Matarazzo e Dr. Ignácio Proença de Gouvêa — já atingiram a lotação máxima de leitos de UTI.

Referências:

1. Prefeitura de Santo André
2. ABC do ABC
3. Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo (Fontes 1 e 2)
4. O Globo


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.