Foto de ato pelo impeachment em 2016 é atribuída nas redes a manifestação por Bolsonaro

Por Luiz Fernando Menezes

14 de maio de 2021, 18h06

Uma foto que mostra uma manifestação pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) em 2016 circula nas redes fora de contexto, atribuída a um ato bolsonarista (veja aqui). A imagem é exibida em posts ao lado de outra, de um protesto da CUT (Central Única dos Trabalhadores), como forma de comparar as popularidades do ex-presidente Lula e de Jair Bolsonaro.

Postagens com o conteúdo enganoso reuniam ao menos 12 mil compartilhamentos no Facebook até a tarde desta sexta-feira (14) e foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da plataforma ‌(‌saiba‌ ‌como‌ ‌funciona‌).


Será que pensam que somos idiotas?

Para se contrapor aos resultados da última pesquisa do Datafolha, que apontou o ex-presidente Lula (PT) na dianteira para as eleições de 2022, publicações nas redes sociais comparam duas fotos para sugerir que a popularidade de Jair Bolsonaro seria maior. A imagem atribuída ao ato bolsonarista, porém, é de 2016 e retrata uma manifestação convocada à época pelo impeachment de Dilma Rousseff (PT).

A foto foi registrada na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, no dia 13 de março daquele ano por Wilson Dias, da Agência Brasil. Na ocasião, cerca de 100 mil pessoas, segundo a Polícia Militar, protestavam contra a corrupção e pediam a saída da então presidente.


Protesto. Foto tirada no dia 13 de março de 2016, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília (DF)

A outra foto usada na comparação mostra um protesto com integrantes da CUT (Central Única dos Trabalhadores), mas Aos Fatos não conseguiu identificar a origem da imagem, o local, o motivo da manifestação e quando ela foi realizada. Nos posts checados, o registro do ato com poucas pessoas é exibido em alusão à popularidade do ex-presidente Lula.

Datafolha. A pesquisa citada pelas publicações foi divulgada no dia 13 de maio com base em respostas de 2.071 entrevistados em todo o Brasil. Em cenário estimulado, o levantamento apontou que Lula teria 41% das intenções de voto no primeiro turno de 2022, contra 23% de Bolsonaro. Num eventual segundo turno entre os dois, o Datafolha estimou que o petista venceria com 55% dos votos e o atual presidente teria 32%.

Referências:

1. Folha (Fontes 1 e 2)
2. Wikimedia
3. Agência Brasil

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.