É falso que filho de Lula é o maior acionista da Petrobras

Por Marco Faustino

27 de junho de 2022, 18h02

Não é verdade que Fábio Luís, um dos filhos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e conhecido como Lulinha, seja o maior acionista da Petrobras, como afirmam publicações nas redes sociais (veja aqui). Quem detém o maior percentual de ações da petroleira é o governo federal, com 50,26% das ações ordinárias, que dão voto em assembleias de decisões internas. A alegação também foi negada pela assessoria de Lula e as empresas que Fábio Luís possui não comercializam barris de petróleo.

Publicações com a alegação enganosa reuniam centenas de shares no Facebook, e circulam também no YouTube e no TikTok.


Selo falso

O maior acionista da Petrobras é Fábio Luís Lula da Silva

Posts enganam ao dizer que Fábio Luís, filho de Lula, é o acionista majoritário da Petrobras, o que é falso.

Um vídeo que circula nas redes sociais traz a alegação falsa de que Fábio Luís Lula da Silva, conhecido como Lulinha, é o maior acionista da Petrobras. Com 50,26% das ações ordinárias (que dão direito a voto), o governo federal é o principal acionista da petroleira. Com isso, o Estado brasileiro tem o poder de indicar o presidente da Petrobras e sete dos dez membros do conselho de administração da companhia, responsável por definir a política de preços dos combustíveis e eventuais reajustes.

A assessoria do ex-presidente Lula negou que Fábio Luís ou as empresas das quais o filho é sócio tenha qualquer participação acionária na petroleira. Ele também não é o maior acionista de uma companhia que manipula o preço do barril de petróleo no Brasil, como afirma o narrador do vídeo. O petróleo é uma commodity, matéria-prima cuja precificação é feita em razão da oferta e procura internacional, e os contratos são feitos com base no dólar americano.

Em 2016, durante o governo de Michel Temer (MDB), o estatuto social da companhia foi alterado pela Assembleia Geral Extraordinária de Acionistas da Petrobras. A petroleira passou a ser impedida de operar com perdas por determinação do acionista majoritário — o governo federal. Isso fez com que fosse adotada uma nova política de preços, chamada de PPI (Preço de Paridade Internacional). Isso não foi estabelecido por lei, como afirma o vídeo, mas pelo então presidente da Petrobras, Pedro Parente, nomeado por Temer.

A Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) e países como Estados Unidos e Rússia estão entre os principais agentes que exercem pressão sobre o valor do insumo. Fatores ambientais, como as mudanças climáticas, e econômicos, como crises, conflitos e recessões, também impactam o preço do barril de petróleo.

Empresas. Fábio Luís é sócio de quatro empresas (G4 Entretenimento e Tecnologia Digital Ltda., Br4 Participacoes Ltda., LLF Participacoes - Eireli e FFK Participacoes Ltda), segundo o CruzaGrafos, ferramenta desenvolvida pela Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) que reúne dados de todas as empresas do Brasil registradas na Receita Federal. Não há informação de que essas companhias atuem no comércio de barris de petróleo.

Referências:

1. Petrobras
2. BBC Brasil
3. Aos Fatos
4. Estado de Minas
5. UOL (Fontes 1 e 2)
6. Warren
7. Somma Investimentos
8. CruzaGrafos


Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.