Não é verdade que família Rothschild registrou patente de teste de Covid-19 em 2015

Por Priscila Pacheco

18 de fevereiro de 2022, 16h59

Não é verdade que uma patente de um exame de Covid-19 foi registrada pelos Rothschild em 2015, como afirma um vídeo que circula nas redes sociais (veja aqui). O registro foi efetuado em maio de 2020 por Richard A. Rothschild, que não tem parentesco com a família de banqueiros. A data de 2015 que aparece na gravação diz respeito a outra patente, sobre dados biométricos, que foi usada na formulação do teste para detectar o novo coronavírus.

O vídeo enganoso conta com centenas de compartilhamentos no Facebook nesta sexta-feira (18) e também circula no WhatsApp (fale com a Fátima).


Selo falso

Patente do teste de covid já era da família Rothschild desde 2015.

Vídeo mostra patente de testes

Um vídeo que circula nas redes sociais engana ao afirmar que a família Rothschild, conhecida por gerenciar instituições financeiras desde o século XIX na Europa, registrou em 2015 uma patente de testes de Covid-19. O registro é de maio de 2020, posterior, portanto, ao início da pandemia, e o autor do pedido não é um membro da família bilionária.

No vídeo disseminado, um homem não identificado busca no Google pelo código US-2020279585-A1 e acessa uma página no PubChem, que é um banco de dados sobre química da Biblioteca Nacional de Medicina norte-americana. A página que é mostrada no vídeo apresenta pedidos de patentes separados, de produtos diferentes, segundo informou o NHI (Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos).

O homem, então, mostra o termo “data de prioridade”, em que aparece 13/10/2015, e depois o abstract (resumo, em inglês), que mostra que o método ali documentado analisa dados biométricos dos usuários para determinar se eles estão sofrendo de infecções virais, como Covid-19.

A data de 2015 não indica que a patente do método de testagem da Covid-19 foi registrada naquele momento, mas que ela está relacionada a uma série de outras patentes sobre dados biométricos que começaram a ser registradas em 2015. Em 2017, por exemplo, foi registrado um sistema de processamento desses dados que não tem relação com doenças virais.

A patente do teste de Covid-19 mostrada no vídeo foi agregada à página em 17 de maio de 2020, como é possível observar na data de preenchimento da página do PubChem. Aos Fatos também verificou que o código da primeira patente registrada é US201562240783P, diferente do apresentado na peça de desinformação.

O vídeo também engana ao afirmar que Richard A. Rothschild, proprietário da patente, é membro da família de banqueiros que conquistou fortuna após as guerras napoleônicas, no século XIX. À AFP, um porta-voz da família afirmou que Richard não é parente dos Rothschild. O nome dele não consta entre os parentes listados pela família, nem no texto biográfico da fundação ou em notícias relacionadas aos Rothschild (veja aqui e aqui).

Projetos relacionados a biometria ou testagem de doenças virais também não constam entre os negócios listados pela família.

Referências:

1. PubChem
2. Google Patentes (Fontes 1 e 2)
3. Rothschild Archive (Fontes 1 e 2)
4. Rothschild CO
5. Fundação Rothschild
6. Revista Galileu
7. Forbes
8. The Washington Post


Aos Fatos integra o Third-Party Fact-Checking Partners, o programa
de verificação de fatos da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.