Vídeo retrata venezuelana sendo salva de sequestro, não bolsonarista sendo preso

Compartilhe

Um vídeo que mostra um homem de camiseta verde e amarela chorando enquanto abraça uma mulher não retrata o momento da prisão de um apoiador do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), como afirmam publicações nas redes. Na realidade, trata-se do registro de quando a venezuelana Franyeli Guerrero, sequestrada por cinco meses por um grupo armado colombiano, reencontrou sua família após ser libertada, em maio de 2022.

Publicações com o conteúdo enganoso acumulavam 150 mil visualizações no Kwai e 1.000 compartilhamentos no Twitter nesta segunda-feira (2), além de circular também no WhatsApp, plataforma na qual não é possível estimar o alcance (fale com a Fátima).


Selo falso

Mais um idiota que vai passar o ano dentro das 4linhas fechado com Bolsonaro

Vídeo difundido nas redes sociais não mostra prisão de apoiador de Bolsonaro, e sim reencontro de sequestrada na Venezuela com familiares

Publicações nas redes enganam ao compartilhar um vídeo em que pessoas aparecem comovidas ao redor de uma mulher, que é abraçada por um homem de camiseta verde e amarela, como se fosse o momento da prisão de um apoiador do ex-presidente Bolsonaro.

Por meio de busca reversa, Aos Fatos verificou que, na realidade, o vídeo foi gravado em 19 de maio de 2022, na Venezuela, e mostra o reencontro de Franyeli Guerrero, uma jovem que foi sequestrada em dezembro do ano anterior, com familiares, logo após o seu resgate.

A jovem foi sequestrada no dia 30 de dezembro de 2020, por volta das 15h, quando saía de um salão de beleza localizado em um shopping center na cidade venezuelana de Barinas, e foi libertada por uma força-tarefa composta por policiais da PNB (Polícia Nacional Bolivariana) e do CICPC (Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalísticas). O sequestro foi atribuído a um grupo armado colombiano, cujo nome não foi divulgado. Os criminosos pediram US$ 750 mil pelo resgate de Guerrero, que não foi pago pelos familiares. Quatro pessoas foram detidas por suspeita de envolvimento no crime.

Compartilhe

Leia também

Por um uso ético da IA no jornalismo

Por um uso ético da IA no jornalismo

falsoBolsonaro não admitiu em áudio participação de Flávio em ‘rachadinha’

Bolsonaro não admitiu em áudio participação de Flávio em ‘rachadinha’

falsoFilho de Lula não comprou a Azul Linhas Aéreas

Filho de Lula não comprou a Azul Linhas Aéreas