🕐 ESTA REPORTAGEM FOI PUBLICADA EM Outubro de 2022. INFORMAÇÕES CONTIDAS NESTE TEXTO PODEM ESTAR DESATUALIZADAS OU TEREM MUDADO.

É falso que policial ferida por Roberto Jefferson estava grávida e perdeu o bebê

Por Bruna Leite

25 de outubro de 2022, 13h04

Não é verdade que a agente da PF (Polícia Federal) Karina Lino Miranda de Oliveira estava grávida e perdeu o bebê após ser ferida durante o ataque a tiros do ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) a policiais que cumpriam mandado de prisão contra ele no domingo (23). A alegação enganosa, desmentida pela corporação, circula em um tuíte falso atribuído à apresentadora Xuxa Meneghel, que não postou a mensagem.

Esta montagem passou a circular no Instagram, no Facebook e no WhatsApp nesta segunda-feira (24), um dia após a prisão do aliado do presidente Jair Bolsonaro (PL) (Fale com a Fátima).


Selo falso
Reprodução de postagem que simula tuíte não publicado por Xuxa Meneghel


Com uma montagem que simula um tuíte da apresentadora Xuxa Meneghel, publicações nas redes sociais enganam ao dizer que a policial federal Karina Lino Miranda de Oliveira estava grávida e perdeu o bebê ao ser ferida no cumprimento do mandado de prisão contra o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) no domingo (23).

Por telefone, a Superintendência da PF (Polícia Federal) no Rio de Janeiro rechaçou ao Aos Fatos nesta segunda (24) a veracidade da informação que circula nas postagens.

Também não há indícios de que Xuxa publicou a mensagem. Além da foto do perfil oficial da apresentadora não ser a mesma que circula com a informação falsa, uma busca avançada na plataforma não trouxe indícios de que ela teria veiculado a mensagem e apagado.

O uso de falsos tuítes para desinformar tem sido frequente nestas eleições, e geradores de postagens enganosas alcançam milhares de acessos, como Aos Fatos já mostrou.

Roberto Jefferson teve a prisão domiciliar revogada após descumprir ordens do STF (Supremo Tribunal Federal), que o proibia de utilizar as redes sociais. Na véspera, ele havia xingado a ministra Cármen Lúcia nas redes.

Ao cumprirem o mandado de prisão, agentes da PF foram recebidos com tiros de fuzil e granadas lançadas pelo ex-deputado em sua casa, em Comendador Levy Gasparian, no interior do Rio de Janeiro. Após oito horas de negociação, que envolveu até o ministro da Justiça, Anderson Torres, Jefferson se entregou.

Além de Oliveira, outro policial foi ferido por estilhaços na operação. Os dois tiveram alta médica no mesmo dia.

Referências:

1. Twitter (1 e 2)
2. Aos Fatos
3. G1

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.