É falso que Alexandre de Moraes mandou Bolsonaro apagar vídeo com entrevistas de chefes de facção

Por Bruna Leite

19 de setembro de 2022, 14h01

Não é verdade que o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes mandou o presidente e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL), apagar dos seus perfis nas redes sociais um vídeo em que aparecem trechos de entrevistas dos traficantes Fernandinho Beira-Mar e Marcinho VP, como afirmam postagens (veja aqui). O gabinete do ministro negou que ele tenha ordenado a retirada desse vídeo e não há registro de que Bolsonaro tenha publicado a montagem, que reúne ainda outros vídeos fora de contexto para associar os criminosos ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Até esta segunda-feira (19), a publicação já havia ultrapassado os 260 mil compartilhamentos no Facebook.


Selo falso

Esse foi o vídeo que o Alexandre de Moraes mandou apagar da página do Bolsonaro
Print de publicação que associa chefes do Comando Vermelho ao ex-presidente Lula

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes não determinou que o presidente Jair Bolsonaro (PL) retirasse dos seus perfis nas redes um vídeo que contém trechos de entrevistas com Fernandinho Beira-Mar e Marcinho VP, como afirmam postagens. O gabinete de Moraes negou ao Aos Fatos que o ministro tenha dado qualquer ordem para a retirada do vídeo, e não há registro de que Bolsonaro tenha publicado em suas contas oficiais a montagem, que reúne gravações fora de contexto para insinuar relação dos criminosos com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

As postagens fazem confusão com uma medida tomada por Alexandre de Moraes em julho, quando ele determinou a retirada das redes de todo conteúdo que associa o PT ao PCC (Primeiro Comando da Capital). Beira-Mar e Marcinho VP são associados a outra facção criminosa, o CV (Comando Vermelho).

O vídeo desinformativo começa com pedaços de entrevistas concedidas por Beira-Mar e VP à Record em abril de 2019, de dentro da prisão, em que falam de esquemas de corrupção e aproximação de governantes ao tráfico. No trecho da entrevista com VP usado na peça desinformativa, o criminoso descreve o dia em que conheceu Sérgio Cabral, ex-governador do Rio de Janeiro, no Complexo do Alemão:

“Foi em um show do Molejo, na época, e ele subiu para o meu camarote lá em cima, comeu, bebeu, me abraçou e me elogiou pra caramba. [...] Ele viu que eu estava armado, me abraçou e me agradeceu por tudo o que eu estava fazendo por ele e que no futuro quem ia mandar no país era nós mesmo, que era tudo jovem. [...] Ele não ficou com medo, não. Estava ele e a equipe dele toda, na época.”

Quando questionado sobre o relacionamento com Marcinho VP pela Record, Sérgio Cabral respondeu em nota que nunca conheceu o traficante. Depois da passagem em que VP fala sobre Cabral, a montagem insere um antigo discurso de Lula com elogios ao ex-governador, que está preso desde novembro de 2016 e conta com 22 condenações.

Referências:

1. Poder360
2. G1 (1 e 2)
3. O Globo (1 e 2)
4. Record
5. YouTube
6. Extra



Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.