🕐 ESTA REPORTAGEM FOI PUBLICADA EM Julho de 2023. INFORMAÇÕES CONTIDAS NESTE TEXTO PODEM ESTAR DESATUALIZADAS OU TEREM MUDADO.

É falso que Jean Wyllys disse que banirá a Bíblia ao voltar para o Brasil

Por Marco Faustino

12 de julho de 2023, 16h39

Não é verdade que o ex-deputado federal Jean Wyllys (PT-RJ) tenha dito que banirá a Bíblia em todo o território nacional ao voltar para o Brasil, como afirmam publicações nas redes. Não há qualquer registro público na imprensa, nem nos perfis de Wyllys, de que ele tenha dado essa declaração.

Publicações com o conteúdo enganoso acumulavam centenas de compartilhamentos no Facebook e curtidas no Instagram nesta quarta-feira (12). As peças enganosas circulam também no WhatsApp, plataforma na qual não é possível estimar o alcance (fale com a Fátima).


Selo falso

Sim, estou voltando! Nossa primeira pauta, será mudar o conceito de laicidade no nosso país. Chega de dar poder a pastores, padres e diversos crentes para usar a bíblia para ofender e criminalizar práticas naturais como uso de maconha , e relações homoafetivas. Só há um jeito, banir a bíblia em todo território nacional [Jean Wyllys]

Publicações nas redes enganam ao fazer crer que Jean Wyllys declarou que mudará o conceito de laicidade e banirá a Bíblia em todo o território nacional ao voltar para o Brasil. O Aos Fatos não encontrou qualquer registro público na imprensa nem nas redes sociais do ex-parlamentar de que ele tenha feito essa afirmação.

A falsa declaração difundida pelas peças checadas circula desde novembro do ano passado e já foi desmentida pelo jornal O Estado de S. Paulo e pela Agência Lupa, para o qual o ex-parlamentar classificou a alegação como mentira e disse se tratar de uma estratégia da extrema-direita para criar pânico moral em novembro de 2022.

As últimas duas vezes que Wyllys usou a palavra “banir” no Twitter foram em março de 2023, quando se referiu a moderação de conteúdo em redes sociais, e maio de 2021, ao afirmar que o país precisava juntar forças para banir o fascismo no Brasil. O próprio Wyllys desmentiu publicações que alegavam que ele teria dito que a Bíblia era uma piada e que havia proposto alterações no livro sagrado para os cristãos, em 2015 e 2018.

Wyllys voltou ao Brasil em 30 de junho de 2023 após quatro anos no exterior. Em 2019, o político abriu mão de seu mandato e deixou Brasília ao alegar que sofreu ameaças de apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Desde seu retorno ao país, o ex-deputado discursou na Parada LGBT+ de Brasília e teve encontros com políticos, como o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o ministro-chefe da Secom, Paulo Pimenta.

Em checagem anterior, o Aos Fatos verificou ser falso que Wyllys seria ministro da Educação do governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O ex-parlamentar tampouco foi intimado para depor sobre Adélio Bispo, homem que esfaqueou o então candidato à Presidência Jair Bolsonaro, em setembro de 2018.

Laicidade. O Brasil é um Estado laico e a liberdade religiosa é prevista pelo artigo 5º, incisos VI, VII e VIII, da Constituição Federal, promulgada em 1988, onde é estipulado ser inviolável a liberdade de consciência e de crença, assegurando o livre exercício dos cultos religiosos e garantindo, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e as suas liturgias. Como se trata de uma cláusula pétrea do texto constitucional, não pode ser suprimido pelos parlamentares.

Referências:

1. Twitter (1, 2, 3, 4, 5)
2. Instagram (1, 2)
3. O Estado de S. Paulo
4. Agência Lupa
5. G1 (1, 2)
6. Correio Braziliense
7. Aos Fatos (1, 2)
8. Governo federal
9. CNJ (Conselho Nacional de Justiça)

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.