É falso que comer arroz requentado é perigoso e que lei no Japão proíbe a prática

Por Marco Faustino

23 de maio de 2024, 16h46

Não é verdade que consumir arroz requentado faz mal à saúde e que o governo japonês proíbe a prática. As peças de desinformação distorcem uma lei do país que não faz referência a arroz cozido, mas a medidas para estabilizar o preço do alimento no mercado interno. De acordo com autoridades nacionais e internacionais, o ato de requentar não é perigoso por si só, mas pode ocorrer a proliferação de bactérias caso o alimento não seja refrigerado ou seja mantido por muito tempo na geladeira.

Publicações com o conteúdo enganoso acumulavam 460 mil curtidas no Instagram e centenas de compartilhamentos no Facebook até a tarde desta quinta-feira (23).

Leia mais
WHATSAPP Inscreva-se no nosso canal e receba as nossas checagens e reportagens

Selo falso

Não pode comer arroz de um dia para o outro. Você sabe, né? Você sabe da lei do Japão, que lá em 1921, eles proibiram todo mundo de comer arroz requentado? [...] Você pode preparar o arroz de manhã e comer até o final do dia, colocando na geladeira, ou você prepara lá a noite e pode comer até de manhã, no dia seguinte [...] Então não pode comer arroz requentado, sabia disso?

Em vídeo difundido nas redes sociais, um homem não identificado pelo Aos Fatos engana ao fazer recomendações sobre o consumo do arroz cozido

Em vídeo compartilhado nas redes, um homem não identificado engana ao alegar que o consumo de arroz requentado é perigoso para a saúde devido à rápida proliferação de fungos, e que o governo japonês proíbe a prática desde 1921.

A Embaixada do Japão em Brasília afirmou ao Aos Fatos que a chamada Lei do Arroz, que não está mais em vigor, não diz respeito ao consumo do arroz cozido, mas a medidas adotadas pelo governo para a estabilização da demanda e do preço do grão no país. “Nunca houve nenhuma lei no Japão relacionada especificamente à comercialização de arroz cozido em determinado prazo após o preparo.”

Leia mais
Nas Redes É falso que governo Lula importará ‘arroz de plástico’ fabricado na China

Janine Passos Lima, pesquisadora do laboratório de microbiologia da Embrapa, afirmou ao Aos Fatos que a proliferação de bactérias no arroz cozido está condicionada principalmente ao armazenamento do produto. O microrganismo Bacillus cereus, que se prolifera quando o alimento passa muito tempo sem refrigeração, pode causar intoxicação alimentar.

De acordo com a especialista, não é ideal preparar o arroz para uma semana inteira, mas é possível requentar o alimento e consumi-lo em período superior a 24 horas. Para isso, é importante que o grão seja cozido em temperaturas superiores a 100 ºC e depois mantido sob refrigeração ou em temperatura superior a 70 ºC. O alimento deve permanecer no máximo 20 minutos na temperatura entre 4 ºC e 70 ºC.

O Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) afirma que o prazo máximo de consumo de alimentos preparados e conservados sob refrigeração a temperatura de 4 ºC ou inferior deve ser de cinco dias. “Quando forem usadas temperaturas superiores a 4 ºC e inferiores a 5 ºC, o prazo máximo de consumo deve ser reduzido”, diz o documento.

Leia mais
Nas Redes Não é verdade que arroz paquistanês infectado por vírus está sendo vendido no Brasil

A orientação é similar às recomendações da USA Rice, a federação americana de arroz, da FDA (Food and Drug Administration, agência regulatória americana), do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos e da divisão de Agricultura e Recursos Naturais da Universidade da Califórnia.

  • Segundo as autoridades e acadêmicos dos Estados Unidos, o arroz cozido pode ser mantido na geladeira a uma temperatura de 4 ºC entre três e cinco dias. Também é possível congelar o grão cozido por até quatro meses;
  • Não se deve manter o arroz ou outros alimentos em temperatura ambiente por mais de duas horas. Em um dia quente (32 ºC ou mais), o tempo máximo cai para uma hora;
  • Para um resfriamento adequado, o arroz deve ser colocado em recipientes rasos;
  • O arroz que não é consumido após o preparo pode ser reaquecido, mas sempre a uma temperatura acima de 70 ºC (aproximadamente 74 ºC);
  • O ideal é retirar da geladeira apenas o arroz a ser consumido em uma determinada refeição e manter o restante refrigerado.

A Agência de Normas Alimentares do Reino Unido ressalta também que a ocorrência de casos de intoxicação alimentar ao comer arroz requentado está relacionada principalmente à forma de armazenamento. Além de fazer recomendações similares à de outros órgãos no que se refere à refrigeração, a agência é mais rígida ao determinar que o arroz cozido deve ser mantido na geladeira por até 24 horas e que não pode ser reaquecido mais de uma vez.

Referências:

1. Universidade de Keio
2. Clínica Cleveland
3. Anvisa
4. USA Rice
5. FDA
6. Departamento de Agricultura dos Estados Unidos
7. Universidade da Califórnia
8. Agência de Normas Alimentares do Reino Unido

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.