É falso que bombeiros proibiram jet-skis em resgates no RS e depois liberaram veículos para reportagem da Globo

Por Luiz Fernando Menezes

16 de maio de 2024, 18h05

Não é verdade que o Corpo de Bombeiros do Rio Grande do Sul usou jet-skis durante a gravação de uma reportagem do Jornal Nacional depois de proibir o emprego desse tipo de veículo no resgate às vítimas das enchentes. Registros anteriores à reportagem do JN mostram que a corporação sempre permitiu o uso de motos aquáticas nas operações. Os posts enganosos utilizam uma peça de desinformação já desmentida pelo Aos Fatos e que se baseia em um caso isolado.

As peças de desinformação acumulavam ao menos mil compartilhamentos no Facebook até a tarde desta quinta-feira (16). Os posts enganosos circulam também no WhatsApp, plataforma em que não é possível estimar o alcance dos conteúdos (fale com a Fátima).


Selo falso

URGENTE - Bombeiros usam jet ski, que não foi autorizado no resgate de vítimas no RS, para mostrar enchentes na Globo. Os bombeiros não poderiam usar jet-ski para resgate de vítimas porque o veículo sofreria danos, mas para fazer matéria com Willian Bonner fingindo preocupação, foi possível

Legenda enganosa acompanha foto de William Bonner em bote no Rio Grande do Sul

São enganosas as publicações que afirmam que os bombeiros liberaram jet-skis para levar o apresentador William Bonner para observar a área alagada no Rio Grande do Sul – depois de terem proibido o uso dos veículos em resgates. De acordo com as publicações, a corporação teria ido contra sua própria orientação de não autorizar o uso desses veículos aquáticos. Isso, no entanto, é mentira.

Em nota enviada ao Aos Fatos, a corporação afirmou que nunca proibiu o uso de jet-skis nos resgates no Rio Grande do Sul: “Desde o início do evento houve o planejamento do emprego das motos aquáticas nas áreas atingidas. Parte foi utilizada nos salvamentos do Vale do Taquari, Porto Alegre e região metropolitana, e parte na substituição das motos aquáticas que já estavam operando e foram danificadas ao longo do evento”.

Na reportagem, veiculada na edição de terça-feira (14) do Jornal Nacional, Bonner acompanhou os bombeiros em operações de resgate em Porto Alegre. É possível verificar que, de fato, os agentes usam motos aquáticas para se movimentar.

Há, no entanto, registros anteriores à reportagem que mostram bombeiros resgatando pessoas com jet-skis, o que desmente a alegação das peças de desinformação de que os veículos teriam sido proibidos. Imagens registradas em Canoas (RS), Torres (RS) e na região da Lagoa dos Patos, por exemplo, mostram motos aquáticas da corporação em uso no salvamento de vítimas.

Também há imagens de civis usando o veículo nos resgates. Em Canoas, por exemplo, um grupo de voluntários catarinenses usaram jet-skis para socorrer cerca de 80 pessoas e diversos animais domésticos.

Leia mais
BIPE Mentiras sobre enchentes no Rio Grande do Sul ocultam informações essenciais, atrasam socorro e ampliam crise
Nas Redes Governo do RS não está fiscalizando documentos nem barrando jet-skis e barcos de voluntários

Jet-skis. Desde o início da tragédia, circula nas redes a desinformação de que o governo estaria impedindo as pessoas de usarem jet-skis para salvar as vítimas das enchentes. Apesar de, em alguns casos, o Exército ter solicitado a documentação dos motoristas, não há nenhuma restrição do tipo em vigência atualmente.

Dias depois de os posts enganosos viralizarem, passou a circular nas redes um vídeo em que um homem filma um caminhão que transportava oito motos aquáticas dos bombeiros do Rio Grande do Sul e alega que os veículos estariam sendo guardados em vez de serem usados para resgatar vítimas das enchentes. De acordo com a corporação, no entanto, os jet-skis já haviam sido empregados pelos socorristas e estavam sendo levados para reparos ou sendo realocados para outras cidades.

Referências:

1. Globoplay
2. Fotos Públicas
3. Instagram (Fontes 1, 2 e 3)
4. NSC Total
5. Aos Fatos
6. Governo do Estado do Rio Grande do Sul

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.