Não é verdade que auxílio-reclusão foi reajustado para valor maior do que salário mínimo

Compartilhe

É falso que o governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) reajustou o auxílio-reclusão para R$ 1.754,18, valor maior do que o do atual salário mínimo. A cifra se refere, na verdade, ao salário máximo que um trabalhador pode ter recebido antes de ser preso para que a família tenha acesso ao benefício. O auxílio-reclusão é pago aos dependentes de presos de baixa renda que tenham contribuído com o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) por ao menos 24 meses e seu valor é variável. Desde 2019, depois da aprovação da Reforma da Previdência, o valor do auxílio-reclusão é de um salário mínimo (R$ 1.302).

Publicações com a alegação falsa circulam principalmente no Instagram, plataforma em que acumulam ao menos 150 mil curtidas, e no Facebook, onde foram compartilhadas ao menos 3.000 vezes. O conteúdo também tem sido disseminado em aplicativos de mensagem, como o Telegram e o WhatsApp (fale com a Fátima).


Selo falso

Publicações distorcem portaria que reajusta benefícios do INSS para afirmar que Lula instituiu auxílio-reclusão de R$ 1.754,18

Publicações nas redes sociais enganam ao afirmar que o governo Lula reajustou o auxílio-reclusão para R$ 1.754,18, valor superior ao do salário mínimo, que é de R$ 1.302. As publicações distorcem o conteúdo de uma portaria publicada na última quarta-feira (11) que eleva o salário máximo que um trabalhador pode ter recebido antes de ser preso para que a família tenha direito ao benefício.

A norma (portaria interministerial nº 26) corrigiu o valor de todos os benefícios pagos pelo INSS em 5,93%. Ela também reajustou o teto salarial para que famílias sejam consideradas de baixa renda e possam receber o auxílio-reclusão. Esse teto era de R$ 1.655,98 em 2022 e passou a ser de R$ R$ 1.754,18 a partir de 2019. Dessa forma, apenas os dependentes de uma pessoa que recebeu um salário igual ou menor que esse valor no mês em que foi presa podem receber o auxílio. Segundo a portaria, o valor do benefício solicitado por dependentes de presos que se enquadram no novo teto é de um salário mínimo (R$ 1.302).

Instituído em 1960 e assegurado pela Constituição de 1988, o auxílio é pago aos dependentes de presos de baixa renda que tenham contribuído com o INSS por ao menos 24 meses. Para os detentos que ingressaram no sistema prisional até 2019, ano da aprovação da Reforma da Previdência, o valor do benefício é calculado a partir da média aritmética de contribuições ao INSS, excluindo as 20% menores; já os que ingressaram após a aprovação da reforma têm direito ao valor fixo de um salário mínimo. A duração do auxílio varia de acordo com a situação conjugal e com a idade dos dependentes.

Leia mais
BIPE Deputados ajudam a impulsionar mentira nas redes sobre aumento do auxílio-reclusão

De acordo com o último Boletim Estatístico da Previdência Social, 2.842 pessoas receberam o auxílio-reclusão em novembro de 2022, com valor médio de R$ 1.772,64. Para efeito de comparação, o último Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias, realizado entre janeiro e julho de 2021, apontou que havia cerca de 332 mil presos em regime fechado no Brasil.

Essa não é a primeira vez que peças desinformam sobre os valores do auxílio-reclusão ou associam o benefício ao PT. Aos Fatos já desmentiu alegações similares em 2022, 2021 e 2018.

Referências

  1. Governo federal (1, 2, 3 e 4)
  2. Câmara
  3. STF
  4. Sisdepen
  5. Aos Fatos (1, 2 e 3)

Compartilhe

Leia também

falsoFilho de Lula não comprou a Azul Linhas Aéreas

Filho de Lula não comprou a Azul Linhas Aéreas

falsoVídeo é editado para fazer crer que família Bolsonaro apoia pré-candidatura de Pablo Marçal

Vídeo é editado para fazer crer que família Bolsonaro apoia pré-candidatura de Pablo Marçal

falsoPosts usam foto de outra pessoa para sugerir que autor de atentado contra Trump era trans

Posts usam foto de outra pessoa para sugerir que autor de atentado contra Trump era trans