São falsas mensagens atribuídas a Juliana Dal Piva e divulgadas por Allan dos Santos

Compartilhe

São falsas as mensagens compartilhadas pelo blogueiro foragido Allan dos Santos e atribuídas a Juliana Dal Piva que supostamente mostrariam a jornalista confessando um plano do ministro do STF Alexandre de Moraes para prender o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Os prints compartilhados por Santos nas redes contêm indícios de edição. Além disso, a jornalista nega a autoria dos textos.

As peças de desinformação acumulam milhares de compartilhamentos no X e curtidas no Instagram até a tarde desta sexta-feira (21).

Essa Juliana Dal Piva é uma CRIMINOSA e SABE, como confessou na conversa, que a Polícia Federal está A MANDO de Alexandre de Moraes. Não importa se as ações são ilegais. O que importa é que irá ‘vencer’ a direita. Essa corja é CEGA.

Prints falsos compartilhados por Allan dos Santos supostamente mostram Juliana Dal Piva confessando interferência de Alexandre de Moraes na PF

Não são verdadeiras as mensagens publicadas por Allan dos Santos que supostamente mostrariam a jornalista Juliana Dal Piva confessando que a Polícia Federal recebe ordens do ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes. As imagens compartilhadas pelo blogueiro têm indícios de edição.

É possível ver nos prints enganosos que a foto do perfil que seria de Piva possui um contorno circular branco que não está presente na imagem de sua conta oficial. Aos Fatos entrou em contato com a jornalista pelo Instagram — rede na qual teriam sido trocadas as mensagens — e constatou que o círculo não aparece durante a conversa tanto em aparelhos Android como em iPhones.

Comparação entre print falso divulgado por Allan dos Santos e imagem oficial do perfil de Juliana Dal Piva. Há um círculo branco contornando a foto da imagem enganosa
Montagem. Círculo branco que aparece nas mensagens supostamente vazadas provavelmente apareceu por causa de um recorte mal feito na hora de forjar as mensagens (Reprodução)

Aos Fatos também refez a troca de mensagens em celulares e em modos diferentes — tanto na conversa comum como no envio de mensagens temporárias. Em todos os casos, o círculo branco não apareceu.

Além dos indícios de edição, a falta de provas atesta contra a veracidade das mensagens: no X (ex-Twitter), o blogueiro disse que o outro envolvido na conversa seria um “repórter do UOL”, veículo em que Piva atuou até novembro de 2023, mas não deu mais detalhes para sustentar suas alegações.

Em post publicado nas redes nesta sexta-feira (21), a jornalista negou ser a autora das mensagens: “Esta madrugada passei a ser alvo de uma campanha difamatória que forjou conversas que nunca existiram. Não vou reproduzir aqui já que o objetivo é justamente desmentir. Quem me conhece, o mínimo, sabe que eu jamais escreveria tais mensagens, inclusive com tanto erro de português”, afirmou ela.

Piva foi responsável por diversas investigações sobre o clã Bolsonaro nos últimos anos. Em 2022, ela publicou uma reportagem que mostrou que metade do patrimônio da família foi comprado com dinheiro vivo. A jornalista também é autora do livro “O negócio do Jair” (Zahar, 2022), em que aprofunda a investigação sobre a origem do capital político e financeiro do ex-presidente.

Santos é um desinformador contumaz procurado pela Justiça brasileira desde 2021. Em 2019, seu blog, Terça Livre, publicou uma mentira similar à que agora é usada para atacar Piva: um diálogo falsamente atribuído à jornalista Constança Rezende, do UOL. na qual ela dizia que sua intenção era “arruinar Flávio Bolsonaro e o governo”.

Compartilhe

Leia também

Como a ‘Abin paralela’ alimentou desinformadores com mentiras e dossiês

Como a ‘Abin paralela’ alimentou desinformadores com mentiras e dossiês

Federal Police investigation uncovers illegal operation targeting Aos Fatos

Federal Police investigation uncovers illegal operation targeting Aos Fatos

falsoDiscurso sobre ‘califado conquistar Paris’ é de 2020 e não tem relação com eleições francesas

Discurso sobre ‘califado conquistar Paris’ é de 2020 e não tem relação com eleições francesas