É falso que batalhão cantou música contra o PT em desfile do Sete de Setembro

Por Luiz Fernando Menezes

9 de setembro de 2022, 18h49

É falso que militares cantaram uma música que diz que petistas são vagabundos durante o desfile de Sete de Setembro em Brasília, como afirmam postagens nas redes sociais (veja aqui). O áudio de uma gravação que circula nas redes sociais desde 2021 foi inserido nas cenas originais, registradas pelo público, que mostram a marcha de soldados de um batalhão de infantaria do Exército. No registro do desfile feito pela TV Brasil é possível verificar que os militares não cantam durante a marcha.

O vídeo editado já havia alcançado mais de 3 milhões de visualizações no TikTok e 5.000 curtidas no Instagram até a tarde desta sexta-feira (9).


Selo falso

Militares cantaram música que chama petistas de vagabundos durante desfile do 7 de Setembro

Um áudio de um vídeo que circula nas redes sociais desde 2021 foi adicionado às cenas que mostram a marcha de militares no desfile de Sete de Setembro deste ano, em Brasília. Embora o Aos Fatos não tenha encontrado o vídeo original, outros registros do desfile mostram que os militares não cantavam no momento retratado pela peça de desinformação.

De acordo com a TV Brasil, que transmitiu todo o evento, os militares que aparecem no vídeo pertencem ao 1º Batalhão de Infantaria de Selva e ao Comando de Operações Especiais. Na gravação, é possível ver que os homens marchavam ao som de uma bateria e de uma banda militar, sem cantar. Em outro vídeo, publicado por um usuário do TikTok, é possível ver o mesmo grupamento de outro ângulo. Nele, se ouvem barulhos da arquibancada e buzinas, enquanto os soldados marcham.

A música que aparece na peça de desinformação foi retirada de um vídeo que está disponível no YouTube desde setembro de 2021, pelo menos. As cenas mostram um grupo de homens sem camisa, vestidos com calças camufladas e entoando um cântico com ofensas a petistas e saudações ao presidente Jair Bolsonaro (PL). O vídeo não traz informações sobre o local ou a data exata da gravação.

Referências:

1. YouTube (Fontes 1 e 2)
2. Tik Tok


Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.