É falso que TV noticiou que rainha Elizabeth tomou ivermectina para Covid-19

Compartilhe

Não é verdade que uma reportagem da TV australiana tenha revelado que a rainha Elizabeth tomou ivermectina para se tratar da Covid-19, como alegam posts nas redes sociais (veja aqui). A imagem de uma caixa do remédio foi inserida por engano em uma reportagem sobre o diagnóstico da monarca exibida pelo Canal 9, segundo a emissora. O antiparasitário nem mesmo é citado ao longo do vídeo.

Este conteúdo enganoso reunia ao menos 3.000 compartilhamentos no Facebook nesta terça-feira (22) e também circula no Instagram e no Twitter.


Selo falso

O vídeo seria da rainha e seu médico dando entrevista mas foi censurado e não dá para postar, o instagram barra o vídeo! Mas segue o rótulo do remédio de piolho da Rainha no trecho do vídeo!

Frame que sugere que rainha tomou ivermectina

Postagens enganam ao afirmar que a TV australiana teria noticiado que a rainha britânica Elizabeth 2ª tomou ivermectina para tratar infecção pela Covid-19. As peças usam uma reprodução do programa A Current Affair veiculado na segunda-feira (21) pelo Canal 9 em que uma imagem do antiparasitário apareceu durante a notícia do diagnóstico da rainha. A emissora disse que foi um erro de edição.

Em nenhum momento da reportagem é dito que a rainha estaria sendo tratada com ivermectina. A tradução completa do trecho em que aparece o medicamento é:

Doutor Mukesh Haikerwal: Pessoas de 90 anos estão em perigo significativo de ter as más consequências da Covid.

Repórter: O doutor Mukesh Haikerwal afirma que pacientes com Covid-19 na idade da rainha deveriam se isolar e se beneficiar dos novos medicamentos aprovados até o momento para pacientes de alto risco em hospitais australianos.

Mukesh Haikerwal: Esses comprimidos ou essas infusões podem fazer uma diferença dramática e imediata no bem-estar e na saúde e na forma como [os pacientes] se sentem, mas também [trazer] benefícios a longo prazo.

O trecho da fala de Haikerwal é acompanhado por imagens de diversos comprimidos, entre eles, o Stromectol, que tem a ivermectina como princípio ativo. A reportagem, no entanto, não diz que a rainha estaria usando o remédio em seu tratamento.

Ao Aos Fatos, o programa informou que o medicamento foi inserido na reportagem por um erro de edição: “Estávamos destacando um medicamento de infusão aprovado chamado Sotrovimab, e a reportagem acidentalmente cortou para uma imagem do Stromectol”.

Haikerwal, identificado erroneamente como o “médico da rainha” em algumas das postagens desinformativas, enviou ao Aos Fatos a lista dos remédios aos quais se referia na reportagem, e o Stromectol ou a ivermectina não estão entre eles. Em seu perfil no Twitter, ele também negou que a alegação que circulou nas redes seja verídica.

No domingo (20), o Palácio de Buckingham informou que a rainha testou positivo para a Covid-19. O tratamento da monarca não foi divulgado para o público.

A reportagem do Canal 9 foi veiculada no dia seguinte, e a imagem da caixa do Stromectol gerou desinformação em diversos países. A emissora tirou do ar o programa completo e atualizou o texto em seu site com um esclarecimento sobre o uso errôneo da imagem da ivermectina.

Esta alegação enganosa também foi desmentida pela Agência Lupa e pelo UOL Confere.


Aos Fatos integra o Third-Party Fact-Checking Partners, o programa
de verificação de fatos da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Compartilhe

Leia também

Ações clandestinas da ‘Abin paralela’ realçam violências reais

Ações clandestinas da ‘Abin paralela’ realçam violências reais

falsoIdosa foi presa por tráfico, não por participar dos atos golpistas do 8 de Janeiro

Idosa foi presa por tráfico, não por participar dos atos golpistas do 8 de Janeiro

falsoLula devolveu 423 presentes recebidos durante mandatos anteriores

Lula devolveu 423 presentes recebidos durante mandatos anteriores