É falso que TV noticiou que rainha Elizabeth tomou ivermectina para Covid-19

Por Luiz Fernando Menezes

23 de fevereiro de 2022, 13h11

Não é verdade que uma reportagem da TV australiana tenha revelado que a rainha Elizabeth tomou ivermectina para se tratar da Covid-19, como alegam posts nas redes sociais (veja aqui). A imagem de uma caixa do remédio foi inserida por engano em uma reportagem sobre o diagnóstico da monarca exibida pelo Canal 9, segundo a emissora. O antiparasitário nem mesmo é citado ao longo do vídeo.

Este conteúdo enganoso reunia ao menos 3.000 compartilhamentos no Facebook nesta terça-feira (22) e também circula no Instagram e no Twitter.


Selo falso

O vídeo seria da rainha e seu médico dando entrevista mas foi censurado e não dá para postar, o instagram barra o vídeo! Mas segue o rótulo do remédio de piolho da Rainha no trecho do vídeo!

Frame que sugere que rainha tomou ivermectina

Postagens enganam ao afirmar que a TV australiana teria noticiado que a rainha britânica Elizabeth 2ª tomou ivermectina para tratar infecção pela Covid-19. As peças usam uma reprodução do programa A Current Affair veiculado na segunda-feira (21) pelo Canal 9 em que uma imagem do antiparasitário apareceu durante a notícia do diagnóstico da rainha. A emissora disse que foi um erro de edição.

Em nenhum momento da reportagem é dito que a rainha estaria sendo tratada com ivermectina. A tradução completa do trecho em que aparece o medicamento é:

Doutor Mukesh Haikerwal: Pessoas de 90 anos estão em perigo significativo de ter as más consequências da Covid.

Repórter: O doutor Mukesh Haikerwal afirma que pacientes com Covid-19 na idade da rainha deveriam se isolar e se beneficiar dos novos medicamentos aprovados até o momento para pacientes de alto risco em hospitais australianos.

Mukesh Haikerwal: Esses comprimidos ou essas infusões podem fazer uma diferença dramática e imediata no bem-estar e na saúde e na forma como [os pacientes] se sentem, mas também [trazer] benefícios a longo prazo.

O trecho da fala de Haikerwal é acompanhado por imagens de diversos comprimidos, entre eles, o Stromectol, que tem a ivermectina como princípio ativo. A reportagem, no entanto, não diz que a rainha estaria usando o remédio em seu tratamento.

Ao Aos Fatos, o programa informou que o medicamento foi inserido na reportagem por um erro de edição: “Estávamos destacando um medicamento de infusão aprovado chamado Sotrovimab, e a reportagem acidentalmente cortou para uma imagem do Stromectol”.

Haikerwal, identificado erroneamente como o “médico da rainha” em algumas das postagens desinformativas, enviou ao Aos Fatos a lista dos remédios aos quais se referia na reportagem, e o Stromectol ou a ivermectina não estão entre eles. Em seu perfil no Twitter, ele também negou que a alegação que circulou nas redes seja verídica.

No domingo (20), o Palácio de Buckingham informou que a rainha testou positivo para a Covid-19. O tratamento da monarca não foi divulgado para o público.

A reportagem do Canal 9 foi veiculada no dia seguinte, e a imagem da caixa do Stromectol gerou desinformação em diversos países. A emissora tirou do ar o programa completo e atualizou o texto em seu site com um esclarecimento sobre o uso errôneo da imagem da ivermectina.

Esta alegação enganosa também foi desmentida pela Agência Lupa e pelo UOL Confere.

Referências:

1. 9now
2. Rxlist
3. RACGP
4. Twitter (@DrMukeshH)
5. CNN Brasil
6. Guardian


Aos Fatos integra o Third-Party Fact-Checking Partners, o programa
de verificação de fatos da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.