É falso que TSE permitiu voto pelo celular nestas eleições

Por Luiz Fernando Menezes

22 de outubro de 2020, 15h43


Não é verdade que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) irá permitir que o eleitor vote por meio do celular ou da internet no pleito municipal deste ano. Conforme explicou o próprio tribunal em nota divulgada em seu site oficial, não houve nenhuma mudança no sistema eleitoral para as eleições de 2020.

O vídeo que traz essas afirmações (veja aqui) distorce informações do projeto do TSE Eleições do Futuro, que pretende analisar propostas de empresas sobre sistemas de votação online. O projeto prevê demonstrações no dia do primeiro turno, mas em caráter simulatório.

A informação enganosa reunia ao menos 4.000 compartilhamentos em posts no Facebook até a tarde desta quinta-feira (8). Publicações também foram identificadas no Youtube. Todas foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (entenda como funciona).


FALSO

O TSE preparou uma surpresinha para o dia das eleições. E aí a pergunta: votamos por vocês? É isso que o Brasil precisa saber agora. Pessoal, vamos informar você do que está acontecendo para já estas eleições. O TSE quer trocar uma urna eletrônica e voto pode ser pelo celular. A ideia, segundo eles, é demonstrar a opção já nessas eleições (...).

Com o título “FlM DAS URNAS: TSE PREPAROU SURPRESINHA PARA O DIA DAS ELEIÇÕES: ‘VOTAMOS POR VOCÊ’”, vem circulando nas redes sociais um vídeo que afirma que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) teria aprovado a votação por celular nas eleições de 2020. A informação, no entanto, foi desmentida pelo próprio tribunal em nota divulgada no site oficial: “O TSE não adotou nenhuma mudança no sistema de votação para as eleições deste ano e não haverá nenhum teste em novembro”.

O vídeo confunde ao usar parte de informações referentes ao projeto Eleições do Futuro, lançado pelo tribunal em setembro e que pretende estudar maneiras de evoluir o sistema de voto eletrônico. Uma das iniciativas foi a abertura de um edital para que empresas de tecnologia apresentem propostas e soluções de votação, principalmente via internet. A autora do vídeo cita trechos de uma reportagem do UOL sobre o assunto. A matéria, no entanto, deixa claro que os testes que serão realizados são apenas uma simulação.

O edital prevê que, no dia 15 de novembro, data da primeiro turno das eleições, as empresas terão a oportunidade de apresentar suas propostas em três cidades ⏤ Curitiba, Valparaíso de Goiás e São Paulo. Conforme explica o próprio TSE, “as demonstrações serão monitoradas pela Justiça Eleitoral e contarão com a participação de eleitores selecionados, que votarão em candidatos fictícios”. Não há, portanto, nenhuma relação com a eleição atual.

Além disso, o TSE afirma ainda que somente serão avaliadas as soluções que agreguem segurança ao processo eleitoral. Entre os pré-requisitos estão listados, por exemplo, a garantia do sigilo do voto e a presença de mecanismos que permitam a transparência e a auditoria da eleição.

Uso do celular nas eleições. Uma novidade destas eleições é que, devido à pandemia de Covid-19, numa tentativa de restringir a circulação de pessoas, o eleitor poderá justificar a sua ausência na votação por meio do celular. O aplicativo e-Título permitirá a justificativa até 60 dias depois de cada um dos turnos.

O Fato ou Fake também desmentiu a peça de desinformação.

Referências:

1. TSE (Fontes 1, 2 e 3)
2. UOL
3. Google Play Store

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.