🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

É falso que tratamento com ivermectina diminuiu mortalidade por Covid-19 em asilos na Eslováquia

Por Priscila Pacheco

3 de fevereiro de 2021, 19h01

Não é verdade que a taxa de mortalidade em lares para idosos na Eslováquia caiu de 30% para 5% após residentes com Covid-19 terem sido tratados com ivermectina, conforme ressaltam postagens que têm circulado nas redes sociais (veja aqui). A proporção de mortes nas instituições de assistência social do país segue estável e alta, segundo informou o Ministério da Saúde eslovaco. Além disso, o remédio não consta no protocolo de tratamento: o país permitiu apenas a prescrição off-label por médicos.

A publicação enganosa conta com ao menos 1.500 compartilhamentos no Facebook nesta quarta-feira (3) e foi marcada com o selo FALSO na ferramenta de verificação da plataforma (saiba como funciona).


A Eslováquia é o primeiro país da União Europeia a registrar oficialmente a ivermectina no tratamento contra a covid. A taxa de mortalidade em lares de idosos é de cerca de 30%. Depois de tratar residentes com ivermectina, essa taxa em uma série de casos caiu para cerca de 5%.

Postagens nas redes sociais enganam ao afirmar que a taxa de mortalidade por Covid-19 em lares para idosos na Eslováquia diminuiu de 30% para 5% após a introdução do vermífugo ivermectina em tratamentos. O governo do país europeu desmentiu esse boato.

Em nota enviada ao Aos Fatos, o Ministério da Saúde eslovaco disse que a proporção de mortes em instituições de assistência social permanece estável e alta, mesmo após a liberação do uso off-label da ivermectina, em janeiro deste ano. Esta é uma modalidade que prevê utilização de um fármaco para enfermidades que não estão descritas na bula - ou seja, o médico tem a opção de receitar ou não o remédio para os pacientes.

Segundo a pasta, a ivermectina não faz parte do protocolo de tratamento padrão para Covid-19 no país por ainda não ter comprovação de que seja efetiva. “Antes de sua introdução nos procedimentos padrão, o Ministério da Saúde da Eslováquia aguardará por evidências clínicas sólidas de tal eficácia”, diz.

O uso off-label da ivermectina foi autorizado no país europeu no dia 26 de janeiro e é válido até 26 de julho para aplicação em unidades de saúde, além de disponibilidade em farmácias com prescrição médica.

A ivermectina não é autorizada pela EMA (European Medicines Agency ou Agência Europeia de Medicamentos), órgão responsável pela aprovação e regulamentação de drogas na União Europeia, bloco do qual a Eslováquia faz parte.

Até o início de fevereiro, os únicos medicamentos que já foram autorizados oficialmente pela EMA para o tratamento do Covid-19 são a dexametasona (um corticóide também recomendado pela OMS - Organização Mundial da Saúde), e o remdevesir (um antiviral também aprovado pelo FDA, a agência reguladora de medicamentos dos EUA, ainda em outubro de 2020).

Por fim, EMA, ESCMID (European Society of Clinical Microbiology and Infectious Diseases), a ECDC (European Centre for Disease Prevention and Control) e a OMS responderam para o Aos Fatos que não possuem informações sobre se outros países da União Europeia autorizaram o uso off-label da ivermectina para tratar Covid-19.

Referências:

1. EMA (Fontes 1 e 2)
2. Ministério da Saúde da Eslováquia
3. Dennikn
4. OMS


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.