É falso que Satoshi Omura ganhou Nobel por descobrir que ivermectina cura Covid-19

Por Marco Faustino

5 de novembro de 2021, 18h35

Não é verdade que o cientista japonês Satoshi Omura ganhou um Prêmio Nobel em 2021 por descobrir que a ivermectina cura a Covid-19, como é dito em vídeo que circula nas redes sociais (veja aqui). Ele recebeu o Nobel de Medicina em 2015, por descobrir que a avermectina (precursora da ivermectina) era eficaz no tratamento de duas infecções causadas por vermes. Na ocasião, ainda não existia a Covid-19, que é causada por um vírus e, até o momento, nenhum estudo sólido atestou que a ivermectina possa tratá-la.

O vídeo com o conteúdo enganoso acumulava centenas de compartilhamentos no Facebook nesta sexta-feira (5).


Selo falso

Nós temos o congratulado, membrado agora com prêmio Nobel, de 2021, Satoshi Omura, por causa que ele descobriu que a ivermectina cura a Covid-19

Um vídeo que circula nas redes sociais difunde a informação enganosa de que o bioquímico Satoshi Omura ganhou um Prêmio Nobel em 2021 por descobrir que a ivermectina cura a Covid-19. O japonês, na verdade, recebeu o Nobel de Medicina ou Fisiologia em 2015 por descobrir que uma nova droga chamada avermectina era eficaz no tratamento de oncocercose e filaríase linfática, infecções causadas por vermes. A Covid-19 surgiu apenas em 2019 e é causada por um vírus, o SARS-CoV-2.

Omura dividiu o prêmio com o cientista irlandês William Campbell, seu parceiro na descoberta, que converteu a avermectina em uma droga menos tóxica, a ivermectina, usada para combater infecções provocadas por parasitas. Em 2015, o Nobel de Medicina ou Fisiologia também foi dado à pesquisadora chinesa YouYou Tu, que desenvolveu uma nova terapia contra a malária.

Em 2021, o prêmio foi destinado aos cientistas David Julius e Ardem Patapoutian, que elucidaram os mecanismos do sistema nervoso para captar estímulos de temperatura e toque na pele.

Estudos. Não há evidências da eficácia da ivermectina para tratar a Covid-19. Existe uma série de estudos em curso que buscam avaliar o potencial da droga contra a doença, mas, até o momento, nenhuma pesquisa sólida demonstrou isso, segundo o biomédico e microbiologista Mateus Falco, da UEL (Universidade Estadual de Londrina).

A OMS (Organização Mundial da Saúde), a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), a FDA (Food and Drug Administration, órgão regulador americano), a EMA (European Medicines Agency, da União Europeia) e a Merck, fabricante do medicamento nos EUA, não recomendam a ivermectina para tratar ou prevenir a Covid-19.

Desinformação. A alegação enganosa de que Nobel premiou Omura em 2021 por ter descoberto que a ivermectina trata a Covid-19 foi dita pelo juiz arbitral Oscar Aníbal Chiáppano durante uma live em sua conta no Facebook. Na ocasião, ele ainda difundiu a desinformação de que governadores e prefeitos teriam recebido R$ 18 mil por cada óbito decorrente da Covid-19, o que foi já checado como falso pelo Aos Fatos ao menos quatro vezes (confira aqui, aqui, aqui e aqui).

Na realidade, o repasse de recursos extras para o combate à pandemia pelo Ministério da Saúde a prefeituras e governos estaduais varia de acordo com o tamanho da população e a complexidade do serviço prestado nas unidades de saúde, não pelo volume de óbitos de cada localidade.

Outro lado. Questionado por Aos Fatos, Chiáppano não respondeu diretamente sobre as alegações do vídeo. Ele disse, entretanto, ser “muito grato ao prêmio Nobel”, em referência a Satoshi Omura. Sem citar a ivermectina, afirmou ainda que está confiante que tratamentos orais possam ser promissores contra a Covid-19.

Referências:

1. Nobel Prize
2. G1 (Fontes 1 e 2)
3. Universidade de Stanford
4. OMS
5. Anvisa
6. FDA
7. EMA
8. Merck
9. Aos Fatos (Fontes 1, 2, 3, 4 e 5)


Aos Fatos integra o Third-Party Fact-Checking Partners, o programa
|de verificação de fatos do Facebook. Veja aqui como funciona a parceria.


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.