É falso que policiais se recusaram a coibir protesto contra lockdown na Itália

Por Luiz Fernando Menezes

25 de março de 2021, 14h51

Não é atual nem tem relação com a pandemia de Covid-19 um vídeo que mostra policiais italianos retirando seus capacetes na frente de manifestantes. A gravação é de 2013 e vem sendo compartilhada nas redes (veja aqui) como se os agentes tivessem feito o gesto em apoio aos protestos contra o lockdown na Itália, que voltou a instaurar medidas para restringir a circulação de pessoas nos últimos dias.

A peça de desinformação, que circulou também em língua polonesa, contava com ao menos 2.000 compartilhamentos nesta quinta-feira (25) no Facebook e foi marcada com o selo FALSO na ferramenta de verificação da plataforma (saiba como funciona).


POLICIAIS ITALIANOS SE RECUSAM A CUMPRIR ORDENS ILEGAIS - Policiais se negaram a agredir a população durante protestos contra o lockdown, na Itália, neste final de semana. A tropa não avançou contra o povo e retirou os capacetes para sinalizar que estava ao lado da população.

Um vídeo de policiais italianos retirando seus capacetes em frente a manifestantes vem sendo compartilhado nas redes sociais como se o ato tivesse ocorrido durante protestos contra medidas de isolamento social adotadas recentemente na Itália. Segundo as peças de desinformação, os agentes teriam se recusado a "cumprir ordens ilegais" e se posicionado a favor dos manifestantes. No entanto, o vídeo foi gravado em 2013, durante protestos contra um plano de austeridade fiscal do governo italiano.

Publicado originalmente pelo jornal italiano Il Fatto Quotidiano, o vídeo mostra a manifestação de agricultores em Turim, no norte da Itália, contra o corte de gastos do governo e pela a realização de novas eleições.

Ainda segundo o jornal, há uma disputa de versões sobre a motivação dos policiais. Enquanto os manifestantes e parte da imprensa interpretaram que a retirada de capacetes teria sido uma demonstração de apoio aos protestos, o comando das forças de segurança locais afirmou que o gesto foi feito porque os agentes avaliaram que não havia mais ameaças à ordem pública.

Pandemia. Recentemente o primeiro-ministro italiano, Mario Draghi, adotou um novo regime de isolamento social. Desde o dia 15 de março, para tentar combater a pandemia de Covid-19 no país, um decreto determinou toque de recolher, fechou serviços não essenciais e estabeleceu que a população só saia de casa se tiver como justificar e comprovar a motivação.

A mesma peça de desinformação circulou em língua polonesa e foi checada pela equipe do Demagog. No Brasil, o Boatos.org também desmentiu as publicações.

Referências:

1. Il Fatto Quotidiano (1 e 2)
2. G1
3. Época


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.