É falso que Polícia Federal identificou urnas com votos já registrados em Brasília

Por Priscila Pacheco

1 de outubro de 2022, 16h22

Não é verdade que a Polícia Federal encontrou urnas eletrônicas com votos pré-registrados em Brasília, como diz um apoiador do candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL) em vídeo que circula nas redes (veja aqui). Segundo o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), a PF não inspecionou equipamentos enviados para os municípios para esta eleição. Em agosto, a equipe técnica participou da inspeção de todas as etapas do sistema eletrônico de votação, e não há registros de problemas.

A postagem enganosa conta com ao menos 16.268 interações no Kwai neste sábado (1º).


Selo falso

Na polícia federal, em Brasília, foram conferir as urnas que estão sendo mandadas para os municípios. Quando foram conferir, o código não fechava e as urnas não zeravam. Já tinha voto inserido nas urnas eletrônicas. Chamaram o sargento Volmar e o sargento Hércules para ver o que que acontecia. Ligaram no TSE. No TSE falaram: pode mandar as urnas desse jeito mesmo.

Homem mente ao dizer que Polícia Federal encontrou urnas já com votos inseridos

Circula nas redes sociais um vídeo em que um homem que se diz apoiador do presidente Jair Bolsonaro (PL) afirma que policiais federais foram supervisionar urnas eletrônicas que estavam em Brasília para serem enviadas a outros municípios e encontraram máquinas que já tinham votos inseridos, o que é falso. O TSE confirmou que a PF não realizou nenhuma ação de conferência de urnas que serão encaminhadas para as eleições de domingo (2).

A urna eletrônica possui mecanismos de proteção para impedir que votos sejam computados antes do início das eleições. Esse tipo de fraude eleitoral era comum na época de urnas de lona e voto impresso e é conhecido como urna “grávida” ou “emprenhada”.

Antes de o primeiro eleitor registrar o voto, o presidente da seção eleitoral, na presença de mesários e fiscais, emite um documento chamado zerésima. Esse comprovante mostra todos os candidatos que estão registrados na seção e que não há nenhum voto computado.

A PF é uma das entidades habilitadas a acompanhar o desenvolvimento e a fiscalizar os sistemas eleitorais do país, e participa do TPS (Teste Público de Segurança do Sistema Eletrônico de Votação) e da CTE (Comissão de Transparência das Eleições). Em agosto, a equipe técnica da PF inspecionou o sistema eletrônico de votação e não há registros de que tenha sido encontrado problemas. O Aos Fatos tentou contato com a assessoria de imprensa da PF, mas não obteve retorno.

A reportagem não identificou o homem que aparece no vídeo.

Referências:

1. TSE (Fontes 1, 2, 3, 4, 5 e 6)
2. Polícia Federal


Neste fim de semana, o Aos Fatos se uniu às iniciativas de checagem AFP Checamos, Boatos.org, Comprova, E-Farsas, Fato ou Fake e Lupa para verificar em conjunto a desinformação sobre as eleições.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.