É falso que partidos pediram e STF barrou hospitais militares para pacientes com Covid-19

Por Luiz Fernando Menezes

18 de maio de 2020, 17h23


Não é verdade que o STF (Supremo Tribunal Federal) barrou, a pedido de partidos políticos, o atendimento a pacientes com Covid-19 em hospitais militares, como afirmam publicações nas redes sociais (veja aqui). A assessoria da corte negou tal hipótese e não havia qualquer registro de decisão similar a essa proferida pelo tribunal até esta segunda-feira (18).

A desinformação tem circulado nas redes desde que a Justiça Federal do Pará rejeitou, na semana passada, um pedido para cessão de leitos em unidades de saúde das Forças Armadas no estado durante a pandemia. Postagens checadas por Aos Fatos trazem uma notícia sobre a decisão publicada pelo G1 em 11 de maio sem a indicação de que o caso não tem a ver com STF ou partidos políticos.

No Facebook, posts com a informação falsa acumulavam ao menos 3.000 compartilhamentos nesta segunda-feira (18) e foram marcados com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (saiba como funciona).


FALSO

Se os HOSPITAIS MILITARES começarem a atender pacientes de COVID, a Pandemia acaba. Por isso que o STF barrou. Sabem quem fez os pedidos para barrar: PT, PSOL, PC DO B, DEM, PSDB.

Publicações nas redes sociais enganam ao afirmar que o STF (Supremo Tribunal Federal) barrou o atendimento de pacientes civis com Covid-19 em hospitais militares a pedido de partidos políticos, como PT, PSOL, DEM e PSDB. A assessoria da Suprema Corte negou nesta segunda-feira (18) a existência de decisão semelhante e não há registro sobre o assunto no site do tribunal ou na imprensa.

Em algumas postagens, Aos Fatos observou que a desinformação circula com uma notícia publicada pelo G1 em 11 de maio sobre decisão da Justiça Federal do Pará que negou a liberação de leitos das Forças Armadas no estado durante a pandemia. O caso, porém, nada tem a ver com o STF ou com partidos políticos.

Na decisão, a juíza Hind Ghassan Kayath justificou a recusa apontando que o decreto nº 95.512/1986 e o Estatuto dos Militares determinam que esses hospitais sejam destinados apenas ao atendimento dos militares e seus dependentes (veja a íntegra aqui). O pedido para o uso dos leitos partiu da associação civil Movimento Popular Unificado de Belém.

Narrativa. O uso de desinformação para acusar partidos de oposição e instituições, como o STF, de prejudicar ações do governo federal para o combate à pandemia tem sido comum com avanço do novo coronavírus. Como Aos Fatos já mostrou, grupos bolsonaristas investem nessa narrativa nas redes sociais desde que medidas de isolamento social foram adotadas em nível regional para conter a disseminação do novo coronavírus.

Esta informação falsa também foi desmentida pelo Boatos.org.

Referências:

1. G1
2. TRF-1 (Fontes 1 e 2)
3. Planalto (Fontes 1 e 2)
4. Aos Fatos


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.