🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

É falso que não houve mortes por Covid-19 na cidade de Rancho Queimado

Por Marco Faustino

9 de março de 2021, 17h20

Publicações que circulam nas redes sociais compartilham um vídeo no qual é dito que o município de Rancho Queimado (SC) não registrou nenhuma morte por Covid-19 devido ao uso de medicamentos contra a doença (veja aqui). No entanto, segundo dados oficiais do governo de Santa Catarina e do SUS, três pessoas morreram na cidade em decorrência da infecção. De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde) e diversos institutos de pesquisa científica, nenhum remédio se provou eficaz contra a Covid-19 até o momento.

Posts com o conteúdo enganoso acumulavam ao menos 32.000 compartilhamentos nesta terça-feira (9) e foram marcados com o selo FALSO na plataforma de verificação do Facebook (saiba como funciona).


Rancho Queimado. Sem óbito. Prefeita Cleci usa kit completo. Essa ama o povo.

Um vídeo que circula nas redes sociais alega que até o momento não houve registro de mortes por Covid-19 em Rancho Queimado (SC), porque a cidade adotou o uso de medicamentos contra a doença. Porém, de acordo com bases de dados do governo do estado e do SUS, a cidade contabiliza três óbitos e 337 casos da infecção desde o início da pandemia.

Todas as mortes ocorreram após o dia 8 de julho de 2020, quando a prefeita Cleici Veronezi (MDB) anunciou que uma normativa tinha sido aprovada pelo Conselho Municipal de Saúde para utilização de cloroquina e ivermectina no tratamento da Covid-19. Na ocasião, a prefeita disse que os medicamentos tinham sido encomendados, mas que os médicos já estavam aptos a prescrevê-los.

Segundo o Painel de Casos de Covid-19 do governo de Santa Catarina, o primeiro óbito na cidade ocorreu no dia 14 de julho, o segundo no dia 8 de agosto e o terceiro em 12 de setembro. Os dados também são corroborados pelo sistema SUS Analítico, do Ministério da Saúde. Já a Secretaria de Saúde de Rancho Queimado contabiliza apenas duas mortes.

Por telefone, a pasta informou ao Aos Fatos que um dos óbitos - sem mencionar qual deles - seria de um cidadão que não morava mais na cidade, e que, por isso, a administração contesta o número e pede revisão da estatística nas bases de dados estadual e federal.

Em checagem anterior, o Aos Fatos mostrou que hidroxicloroquina, ivermectina, nitazoxanida, azitromicina, além da vitamina D e do zinco não são eficazes no combate à Covid-19. Até o momento, nenhuma autoridade sanitária reconheceu nenhuma droga efetiva para curar a doença.

Aumento de casos. Do início da pandemia até 30 de dezembro de 2020 o Rancho Queimado contabilizou 183 casos de infecção pelo Sars-Cov-2. Porém, somente entre 4° de janeiro e 8 de março a cidade já soma 150 novos casos, ou seja, 82% de todo o ano passado.

Habitantes. No vídeo, também é dito que Rancho Queimado tem 6.000 ou 7.000 habitantes. Porém, de acordo com estimativa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) para o ano de 2020, o município catarinense possui pouco menos de 2.900 habitantes.

Referências:

1. Facebook (Fontes 1, 2 e 3)
2. Governo de SC
3. Ministério da Saúde
4. Prefeitura de Rancho Queimado
5. Aos Fatos
6. IBGE


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.