🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

É falso que mortes no Amazonas caíram logo após visita de Pazuello ao estado

Por Luiz Fernando Menezes

9 de fevereiro de 2021, 19h00

Não é verdade que o número total de mortes confirmadas no Amazonas caiu 99% logo após uma visita do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, ao estado, como afirmam mensagens nas redes sociais (veja aqui). Os dados disponíveis não indicam queda nos óbitos nos dias posteriores às duas viagens do general à região neste ano.

Também é falsa a informação de que logo após essas visitas o Amazonas passou dias com apenas uma ou duas mortes por Covid-19. Até o momento, o menor registro ocorreu em 1º e 2 de janeiro, quando foram contabilizados em cada dia 18 óbitos pela doença.

Publicações com a afirmação enganosa acumulavam ao menos 1.000 compartilhamentos no Facebook até a tarde desta terça-feira (9) e foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação disponibilizada pela rede social (saiba como funciona). A mensagem também tem viralizado no WhatsApp.


BOMBA, SEGUNDO O GOVERNO DE MANAUS, TODO DIA ESTAVA MORRENDO 140 PESSOAS NO AMAZONAS, SÓ FOI BOLSONARO MANDAR O MINISTRO DA SAÚDE IR PARA MANAUS VISITAR OS HOSPITAIS , QUE ONTEM MORREU 46 PESSOAS NO ESTADO TODO, SENDO QUE 2 DE COVID 19. E HOJE MORREU 39 PESSOAS NO ESTADO TODO, SENDO QUE 1 DE COVID 19, MAIS AONDE ESTAVA AQUELAS MORTES TODAS ???? BOLSONARO ESTÁ DE OLHO NA SAFADESA DOS GOVERNADORES COMUNISTAS. EM 2 DIAS HOUVE REDUÇÃO DE 99.99% DE MORTES NO ESTADO DO AMAZONAS PQ SERÁ??? PQ O MINISTRO DA SAÚDE ESTÁ NO AMAZONAS!!!

O número de mortes registradas no Amazonas não caiu 99% após uma visita do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, como alegam as mensagens checadas. O general já visitou o estado duas vezes neste ano — em 11 e 23 de janeiro — e não houve queda expressiva no registro local de óbitos nos dias seguintes a essas ocasiões.

Os únicos dados disponíveis sobre óbitos de causas naturais em geral estão no Portal da Transparência do Registro Civil, uma base que tem limitações por estar em constante atualização e que pode levar meses para contabilizar um óbito. Ou seja, quanto mais recentes forem os dados, mais incompletos eles estão. Ainda assim, os números apresentados na base não indicam uma queda tão expressiva quanto a sugerida pelas peças de desinformação.

Segundo dados coletados na tarde desta terça-feira (9), não houve registro de queda brusca do número de óbitos gerais dias após as visitas de Pazuello. No dia 11, por exemplo, foram registrados 195 óbitos em cartórios. Nos três dias seguintes, o portal contabilizou 162, 196 e 175 mortes, respectivamente. Na segunda visita, ocorrida no dia 23, o Amazonas registrou 108 mortes. Nos dias posteriores, o portal informa que foram registrados 132, 132 e 119 óbitos.


Outra informação incorreta da peça é sobre o número de mortes confirmadas pela infecção do novo coronavírus. Dados da FVS (Fundação de Vigilância Sanitária do Amazonas) atestam que, em nenhum momento de 2021, foi registrada queda de 99% das mortes no estado ou contabilizado apenas um óbito por Covid-19 em um dia. Até agora, os dias com menor número de mortes pela doença neste ano foram 1º e 2 de janeiro, com 18 registros cada.

Os números ainda mostram que não houve nenhuma queda acentuada de mortes logo após as visitas do ministro da Saúde. Na verdade, dias depois das ocasiões, o Amazonas apresentou elevação do número de óbitos. No dia 11, o estado registrou 27 óbitos pela Covid-19, seguidos de 41, 44 e 82 nos três dias posteriores. Já na segunda viagem, iniciada no dia 23, o Amazonas registrou 58 mortes pela infecção, seguidas de 56, 51 e 79 nas datas seguintes.

Além disso, no dia 26, quando Pazuello ainda estava no estado, o Amazonas bateu recorde na média móvel de mortes pela infecção: 139 nos 7 dias anteriores.

Em nota enviada ao Aos Fatos, o governo do Amazonas negou a veracidade do que é descrito na mensagem checada e disse que “os boletins epidemiológicos divulgados pela FVS são acompanhados pelos órgãos de controle, o que garante a transparência de todo o processo de coleta e divulgação”.

Uma peça semelhante circulou nas redes sociais em maio de 2020, quando o então ministro da Saúde, Nelson Teich, visitou o Amazonas. Naquela época, as publicações também tentavam sugerir que o estado estaria inflando os números de óbitos por Covid-19.

A Agência Lupa também publicou uma checagem sobre a peça de desinformação.

Referências:

1. FVS
2. Portal da Transparência do Registro Civil

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.