É falso que Lula foi xingado em encontro com movimentos sociais em SP

Por Marco Faustino

20 de dezembro de 2021, 12h54

Publicações nas redes sociais compartilham um vídeo manipulado (veja aqui) para fazer crer que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi xingado em encontro com movimentos sociais em outubro deste ano em São Paulo. A edição foi feita com imagens de um trecho do evento e um áudio de 2018, quando o petista foi hostilizado durante visita à cidade gaúcha de São Vicente do Sul.

O conteúdo enganoso acumulava ao menos 6.000 compartilhamentos em publicações no Facebook nesta segunda-feira (20), e circula também no TikTok.


Selo falso

Recepção para quem está em 1° lugar nas pesquisas

Não é verdade que o ex-presidente Lula foi hostilizado durante encontro com movimentos sociais em São Paulo em outubro deste ano, como dá a entender um vídeo manipulado que circula nas redes sociais. A montagem usa imagens do discurso do petista no evento e áudio de um protesto ocorrido durante a visita dele ao Rio Grande do Sul em 2018.

Em busca feita em vídeos de protestos antigos, Aos Fatos verificou que o mesmo áudio com os xingamentos contra Lula aparece em gravação de 21 de março de 2018, quando ele esteve no campus do Instituto Federal de Farroupilha, em São Vicente do Sul (RS). Há uma série de elementos sonoros idênticos, como assobios, vaias e dizeres de “Lula, ladrão, seu lugar é na prisão”, que partiram de manifestantes que estavam do lado de fora do instituto federal.

Já as imagens do vídeo são do Encontro dos Movimentos do Campo, das Florestas e das Águas, realizado em 15 de outubro de 2021, em São Paulo. Aos Fatos localizou o mesmo trecho (a partir de 2h 2m e 30s) utilizado na edição e verificou que não houve hostilidade ao petista. Na ocasião, representantes de indígenas, quilombolas, pescadores artesanais e mulheres do campo se reuniram com o ex-presidente para discutir sobre o combate à fome.

Referências:

1. Facebook (Fontes 1 e 2)
2. Instituto Federal de Farroupilha
3. UOL
4. Lula.com.br


Aos Fatos integra o Third-Party Fact-Checking Partners, o programa
de verificação de fatos da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.