É falso que índios prenderam integrantes de ONGs que atearam fogo no Pantanal

Por Luiz Fernando Menezes

16 de setembro de 2020, 13h03


Não existe nenhum indício de que índios da região do Pantanal prenderam integrantes de ONGs (organizações não governamentais) que estavam ateando fogo na região. As secretarias de Segurança Pública dos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul afirmaram ao Aos Fatos não ter conhecimento de nenhum caso parecido e a imprensa não noticiou nada semelhante.

Publicada por perfis pessoais, a falsa alegação (veja aqui) acumulava cerca de 6.000 compartilhamentos em postagens no Facebook até a tarde desta terça-feira (15). Todos os posts foram marcados com o selo FALSO na ferramenta de verificação (saiba como funciona).


FALSO

ÍNDIOS DO PANTANAL PRENDERAM ONGUISTAS QUE ESTAVAM BOTANDO FOGO NA VEGETAÇÃO, PRA CULPAR O GOV. BOLSONARO, E OS NATIVOS QUEREM ENFORCAR OS ‘MARDITOS’!

Não é verdade que índios prenderam integrantes de ONGs que ateavam fogo no Pantanal para culpar o governo Bolsonaro, como afirma texto que circula nas redes desde o começo desta semana. A mensagem, que não cita fontes, diz ainda que os indígenas estariam ameaçando matar os incendiários. Além de não haver indícios de que um caso semelhante tenha ocorrido nas últimas semanas, as autoridades de segurança de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul negaram a existência de um registro semelhante ao citado na peça.

Em nota enviada ao Aos Fatos, a Sesp-MT (Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso) disse “não ter conhecimento do fato citado”. A resposta da Sejusp-MS (Secretaria de Justiça e Segurança Pública do Mato Grosso do Sul) foi idêntica.

Além das secretarias, a reportagem também entrou em contato com as polícias estaduais. A PM-MT (Polícia MIlitar de Mato Grosso), PC-MT (Polícia Civil de Mato Grosso), a PM-MS (Polícia Militar de Mato Grosso do Sul) e a PC-MS (Polícia Civil do Mato Grosso do Sul) disseram não ter registrado nenhuma ocorrência semelhante.

O Aos Fatos também procurou relatos de prisões de incendiários por indígenas na imprensa, mas não obteve resultados. Na verdade, as investigações da PF (Polícia Federal) dentro da Operação Matáá apontam para queimadas deliberadas para abertura de pasto e fazendeiros são os principais suspeitos.

No ano passado, uma foto de madeireiros sendo presos por índios circulou nas redes sociais como se retratasse integrantes de ONGs e do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) que estavam colocando fogo na floresta Amazônica. A mesma imagem voltou a circular no começo deste mês com uma desinformação semelhante.

Peças de desinformação que sugerem que ambientalistas seriam os responsáveis por incêndios florestais também foram compartilhadas no ano passado, tendo como foco as queimadas na Amazônia. O próprio presidente Jair Bolsonaro fez uso dessa teoria da conspiração para tentar explicar o fogo que atingiu a região. O Aos Fatos checou ao menos outras duas publicações (aqui e aqui) que traziam a falsa alegação.

Referências:

1. G1
2. Aos Fatos (Fontes 1, 2, 3, 4 e 5)


Esta checagem foi atualizada às 15h18 do dia 16 de setembro de 2020 para acrescentar a nota da PC-MS, que também afirmou desconhecer caso semelhante ao citado pela peça de desinformação.