🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

É falso que hospital de Porto Alegre esteja vazio em meio à pandemia de Covid-19

Por Priscila Pacheco

4 de março de 2021, 18h01

É enganoso um vídeo em que um homem caminha por diferentes áreas do hospital Moinhos de Vento, da rede particular de Porto Alegre (RS), alegando que a superlotação de pacientes com Covid-19 é uma farsa. A gravação, que tem circulado nas redes sociais (veja aqui), foi desmentida pela unidade de saúde em seu perfil oficial no Facebook.

Na nota, o hospital deixou claro que opera acima da capacidade de leitos disponíveis em UTI para tratamento de Covid-19 e que a tenda montada no pátio da unidade, que aparece vazia na gravação, foi fechada para que todos os pacientes sejam atendidos somente no interior do pronto-socorro. Outras áreas externas, segundo o hospital, aparecem vazias devido às proibições de visitas e de circulação de familiares dos internados com o novo coronavírus.

O vídeo tem com ao menos 1.000 compartilhamentos nesta quinta-feira (4) no Facebook e foi marcado como FALSO na ferramenta de verificação da plataforma (saiba como funciona).


No mínimo estranho o Hospital Moinhos [de Vento] vazio! COMPARTILHE!! 03/03/21 10.15h Porto alegre

Tem circulado nas redes sociais um vídeo enganoso no qual um homem mostra áreas vazias do hospital privado Moinhos de Vento, em Porto Alegre (RS), para insinuar que a superlotação na unidade de saúde por pacientes com Covid-19 seria uma farsa. Em uma nota publicada em sua conta autenticada no Facebook e no site oficial, o hospital nega que esteja vazio e afirma que a capacidade de atendimento na sua UTI passou do limite disponível.

Segundo o autor do vídeo, ele decidiu visitar o local após ficar sabendo que a unidade de saúde havia instalado um contêiner refrigerado para ajudar em potencial superlotação de seu necrotério. O hospital, em seu site, justifica a instalação do contêiner mesmo que não venha a ser utilizado, porque "trata-se de uma medida preventiva que se faz necessária dentro dos padrões de qualidade assistencial e médica da instituição” diante da crescente taxa de óbitos por Covid-19.

A tenda vazia mostrada no vídeo foi mesmo desativada, pois os pacientes com suspeita de Covid-19 passaram a receber atendimento no setor de emergência. Além disso, está proibida a circulação de familiares pelos corredores e áreas externas, visitas foram suspensas e a orientação é de que os parentes de internados fiquem em suas casas.

Nesta quarta-feira (3), 20 pacientes com Covid-19 esperavam uma vaga na UTI da unidade, que tem 66 leitos, todos ocupados. O caso do hospital Moinhos de Vento acompanha a situação crítica de todo o estado do Rio Grande do Sul. De acordo com o painel da Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul, a taxa de ocupação de leitos públicos e privados de UTI em geral era de 100,4% no dia 3 de março, quando ocorreu a última atualização. Sendo 2.966 pacientes para 2.953 leitos de UTI.

A peça de desinformação também foi checada pela Agência Lupa.

Referências:

1. Hospital Moinhos de Vento (Fontes 1, 2 e 3)
2. G1
3. Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul
4. Agência Lupa


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.