🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

É falso que governo de SP negou o envio de vacinas ao município de Bauru

Por Marco Faustino

29 de janeiro de 2021, 17h54

Não é verdade que o governo de São Paulo negou o envio de vacinas contra a Covid-19 a Bauru e que o município do interior paulista foi socorrido pelo governo federal com doses do imunizante da AstraZeneca/Oxford, conforme alegam postagens nas redes (veja aqui). Tanto a Prefeitura de Bauru como o governo estadual desmentiram o boato.

O conteúdo enganoso reunia ao menos 24.910 compartilhamentos no Facebook nesta sexta-feira (29) e foi marcado com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (entenda como funciona). A peça também circula no WhatsApp, onde foi enviada ao Aos Fatos como sugestão de checagem por leitores (inscreva-se aqui).


O Doria, que não recebe o apoio da prefeita de Bauru, avisou-lhe que não teriam vacinas para o município, nesta primeira etapa. Ela não teve dúvida, embarcou para Brasília, se encontrou com o ministro da Ciência e tecnologia, que é Bauruense. Foram ao gabinete da ministra da Agricultura e também ao da ministra Damares. Todos juntos, ela com apenas 28 anos, foram ao Palácio do Governo, falaram com o Bolsonaro e exigiu vacinas para o seu município e para os municípios vizinhos. Resultado, ontem mesmo chegaram vacinas de Oxford para Bauru, Piratininga, Arealva, Duartina, Tibiriçá, Avaí e Lucianópolis

É falso que o governo de São Paulo não enviou vacinas contra a Covid-19 a Bauru. Ao Aos Fatos, a prefeitura da cidade do interior paulista informou que não houve qualquer negativa no envio de doses tanto da CoronaVac quanto da AstraZeneca/Oxford. Já o estado divulgou nas redes que o município recebeu todas as doses previstas do PNI (Programa Nacional de Imunização) e continuará a receber.

Bauru começou a campanha de vacinação contra a doença no dia 20 de janeiro com cerca de 8,6 mil doses da CoronaVac — imunizante produzido pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac.

No dia 26 de janeiro, o governo estadual distribuiu ao município 6.600 doses da vacina de Astrazeneca/Oxford viabilizadas pelo PNI, do Ministério da Saúde. Naquele dia, a prefeita Suéllen Rosim (Patriota) cumpriu agenda oficial em Brasília, onde se reuniu com a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas. Ela também esteve com representantes do Ministério da Saúde, onde foram apresentados pedidos de investimentos para a região.

O encontro com o presidente da República ocorreu somente no dia seguinte (27). Porém, em notícia publicada no site da prefeitura não há qualquer menção sobre pedido específico de vacinas ao município.

Fase vermelha. Por meio de um decreto municipal publicado no dia 24 de janeiro, Suéllen Rosim permitiu o funcionamento de atividades comerciais e de serviços diversos, em desacordo com as medidas previstas na fase vermelha do Plano São Paulo.

De acordo com o último boletim divulgado na quinta-feira (28) pela prefeitura, Bauru possui 98% dos leitos de UTI ocupados. Desde o início da pandemia, foram confirmados 24.861 casos e 353 óbitos na cidade devido à Covid-19.

Referências:

1. Facebook (Fontes 1, 2 e 3)
2. Jovem Pan Bauru
3. G1 (Fontes 1 e 2)
4. Prefeitura de Bauru (Fontes 1 e 2)


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.