🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

É falso que governo da Irlanda instalou aviso eletrônico contra uso de máscaras, testes e vacinas

Por Priscila Pacheco

29 de janeiro de 2021, 15h09

Não é verdade que o governo da Irlanda tenha instalado um aviso eletrônico em um pedágio com alertas contra o uso de máscaras, vacinas e testes de Covid-19, conforme alegam postagens que circulam nas redes sociais (veja aqui). O painel foi instalado por um grupo de negacionistas e não houve apoio do governo irlandês.

A peça de desinformação reunia ao menos 1.022 compartilhamentos nesta sexta-feira (29) e foi marcada com o selo FALSO na ferramenta de verificação do Facebook (saiba como funciona).


Na Irlanda o Governo colocou este aviso eletrônico no pedágio, avisando a população: Vacinas podem causar paralisia. Tirem suas máscaras. Máscaras acumulam germes. Testes de covid são fraudulentos. 95% dos testes de covid dão falso positivo. Vacina não é segura. O HSE não cuida da sua saúde. O Covid é uma operação psicológica para quebrar a economia mundial.

Não foi instalado pelo governo da Irlanda um painel eletrônico que exibe mensagens contrárias ao uso de máscaras, de vacinas e de testes como estratégias para deter a pandemia de Covid-19. O vídeo mostra uma ação de um grupo de negacionistas daquele país, como noticiou a mídia local. Além disso, em seus canais oficiais, o governo irlandês recomenda a utilização de máscaras, a vacinação e a testagem massiva de casos suspeitos.

A Irlanda anunciou sua estratégia de vacinação contra Covid-19 em 15 de dezembro do ano passado e o uso de máscaras é obrigatório no país em locais públicos desde maio de 2020. O governo também recomenda a realização de testes em casos suspeitos da doença e conta com políticas específicas de testagem em massa em escolas, para motoristas que se deslocam para outros países e viajantes em geral.

O vídeo com a alegação enganosa também circulou em outros países e foi checado pelas agências internacionais Faktograf e AFP. No Brasil, a Agência Lupa também checou a peça de desinformação.

Referências:

1. Irish Central
2. Ministério da Saúde da Irlanda (Fontes 1, 2, 3, 4 e 5)
3. Faktograf
4. AFP
5. Agência Lupa


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.