É falso que governo Bolsonaro não destina dinheiro para emissoras de TV

Por Luiz Fernando Menezes

29 de junho de 2022, 17h58

Não é verdade que o presidente Jair Bolsonaro (PL) deixou de “mandar dinheiro” para emissoras de televisão, como afirma um vídeo que circula nas redes sociais (veja aqui). Segundo dados da Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social), o governo gastou ao menos R$ 258 milhões com publicidade na TV entre janeiro de 2019 e junho de 2022.

O vídeo com a alegação enganosa acumulava quase 4 milhões de visualizações no TikTok e mais de 110 mil compartilhamentos no Facebook até a tarde desta quarta-feira (29).


Selo falso

Desde o governo Bolsonaro não jorra mais dinheiro na imprensa. O Bolsonaro não manda dinheiro para as emissoras de televisão.

Vídeo com a alegação enganosa de que Bolsonaro deixou de mandar dinheiro para emissoras de televisão

O governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) não deixou de investir recursos em emissoras de televisão, como afirma a jornalista Carla Cecato em um vídeo que circula nas redes sociais. Segundo dados divulgados pela Secom no portal Gestão Secom, o governo federal gastou, de janeiro de 2019 até este mês, cerca de R$ 258 milhões com propagandas na televisão.

Desse total, R$ 221,5 milhões foram destinados às cinco maiores emissoras do país: Globo, Record, SBT, Band e RedeTV! (veja o gráfico abaixo).

O valor não compreende tudo o que foi gasto pelo governo com publicidade na TV, uma vez que considera apenas o que é gerido pela Secom. Estão fora dessa conta, por exemplo, despesas de órgãos públicos ligados à administração federal, como bancos públicos e estatais.

Levantamento feito pelo Poder360 em novembro de 2021 mostra que o total de gastos da Secom sob Bolsonaro com todas as empresas de mídia, não apenas de TV, somava, até então, R$ 488,8 milhões — cerca de R$ 162,9 milhões por ano. Na gestão de Michel Temer (MDB) foram R$ 190,7 milhões por ano, enquanto na de Dilma Rousseff (PT) a média anual de gastos foi de R$ 146,1 milhões, no primeiro mandato, e R$ 140,2 milhões, no segundo.

Outro lado. O Aos Fatos entrou em contato com Cecato pelo email disponibilizado em sua página oficial no Facebook, mas não obteve retorno até a publicação dessa checagem.

A Agência Lupa publicou uma checagem semelhante sobre o assunto.

Referências:

1. Secom
2. UOL
3. Poder360


Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.