É falso que ‘G1’ publicou que banqueiros apoiam Lula em troca da revogação do Pix

Por Priscila Pacheco

1 de agosto de 2022, 18h58

O portal G1 não noticiou que banqueiros vão apoiar o pré-candidato do PT à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em troca de uma revogação do meio de pagamentos Pix, como afirmam postagens nas redes sociais (veja aqui). A imagem compartilhada simula o design do site do Grupo Globo, e o Aos Fatos não encontrou a reportagem no G1 ou em outro veículo de comunicação. O próprio G1 esclareceu que “não publicou reportagem com esse título e conteúdo”. Recentemente, o ex-presidente disse que não pretende acabar com o Pix.

As postagens enganosas contam com ao menos 1.000 compartilhamentos no Facebook, centenas de curtidas no Instagram e dezenas de retweets no Twitter nesta segunda-feira (1).


Selo falso

Imagem simula site do G1 para afirmar que banqueiros declararam apoio a Lula em troca da revogação do PIX

Circula nas redes sociais uma imagem que simula o layout de uma notícia do site G1 com o título “Banqueiros definem apoio à Lula em troca da revogação do PIX”, mas o portal jamais publicou tal reportagem. Em buscas no site do Grupo Globo, o Aos Fatos não encontrou textos com o título citado. Em reportagem publicada nesta segunda (1º), o G1 faz referência à peça de desinformação e diz que “não publicou reportagem com esse título e conteúdo”. No dia 28 de julho, data indicada na montagem, as reportagens sobre o Pix publicadas no G1 ensinavam a se proteger de golpes e contavam o caso de uma ONG que repassou dinheiro para um desconhecido por engano.

O Aos Fatos também não encontrou registros em sites de busca registros de que outro veículo de comunicação tenha publicado uma reportagem com o mesmo título. Recentemente, o ex-presidente Lula declarou que não pretende acabar com as transações via Pix.

Textos que relacionam Lula a uma possível revogação do Pix passaram a circular após a divulgação da lista de signatários de um manifesto em defesa da democracia, na qual aparecem banqueiros como Roberto Setúbal e Pedro Moreira Salles, acionistas do Itaú Unibanco. Embora o texto não se refira diretamente a nenhum candidato, o presidente Jair Bolsonaro (PL), que disputa a reeleição, passou a associá-lo às críticas contra o seu governo.

No dia 26 de julho, o ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP), publicou em seu perfil no Twitter que a adesão de banqueiros ao manifesto diria respeito a um suposto prejuízo de R$ 40 bilhões das instituições financeiras com o Pix, o que é falso. Planejado na gestão do ex-presidente Michel Temer (MDB), o sistema de transações financeiras instantâneas foi implementado em novembro de 2020, durante o governo Bolsonaro.

Em março, o Aos Fatos também checou uma desinformação que simulava o site do G1 para afirmar que Lula pretendia acabar com o Pix.

Referências:

1. G1 (Fontes 1, 2 e 3)
2. Globoplay
3. Site Lula
4. Estado de Direito Sempre
5. Deutsche Welle
6. O Globo
7. Aos Fatos
8. Bis
9. UOL


Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.