É falso que FMI destacou Brasil como exemplo recente de controle da inflação

Compartilhe

Não é verdade que o FMI (Fundo Monetário Internacional) destacou em relatório o controle da inflação no governo Bolsonaro, como alegam nas redes (veja aqui). O documento citado elogia a política monetária que estabilizou preços entre 2002 e 2005, nos mandatos de Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

A publicação original e as reproduções dela acumulavam centenas de compartilhamentos em posts no Facebook nesta sexta-feira (22).


Uma publicação do site Terra Brasil Notícias engana ao sugerir que, em relatório, o FMI (Fundo Monetário Internacional) destacou o controle da inflação pelo governo Bolsonaro. Na realidade, o World Economic Outlook faz menção positiva à política adotada entre 2002 e 2005, entre o final do mandato de FHC e o início do de Lula, que estabilizou os preços.

Na página 61, o relatório do FMI diz que “a experiência [da época] mostrou a necessidade de maior ação da política monetária para contrariar expectativas não ancoradas e estabelecer credibilidade”. Além desse exemplo, são citadas as medidas econômicas adotadas por Estados Unidos (1965-1983), Chile (2007-2009) e Índia (2010-2014).

O FMI projetou no documento que a inflação nos países desenvolvidos e emergentes continuará crescendo neste ano e permanecerá alta em boa parte de 2022. Em algumas dessas nações, há a combinação de inflação crescente e desemprego alto, aponta o fundo, sem mencionar diretamente o Brasil.

O relatório chama atenção para a projeção de aumento de 7,9% no IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) até o final de 2021 e afirma que a inflação brasileira pode chegar a 4% até o fim de 2022.

Aos Fatos entrou em contato com o Terra Brasil Notícias, mas não houve retorno até a publicação deste texto.

Essa peça de desinformação também foi desmentida pela Agência Lupa e pela AFP Checamos.


Aos Fatos integra o Third-Party Fact-Checking Partners, o programa
de verificação de fatos do Facebook. Veja aqui como funciona a parceria.

Referências

  1. FMI

Compartilhe

Leia também

Por um uso ético da IA no jornalismo

Por um uso ético da IA no jornalismo

falsoBolsonaro não admitiu em áudio participação de Flávio em ‘rachadinha’

Bolsonaro não admitiu em áudio participação de Flávio em ‘rachadinha’

falsoFilho de Lula não comprou a Azul Linhas Aéreas

Filho de Lula não comprou a Azul Linhas Aéreas