É falso que empresa contratada pelo TSE tem ligação com o PT

Compartilhe

Não é verdade que empresa contratada pelo TSE para apuração dos votos do segundo turno das eleições tem ligação com o PT. A informação disseminada por páginas e perfis nas redes sociais é FALSA por dois motivos: 1. A empresa em questão não foi contratada para serviços de apuração, mas para auxiliar na divulgação de resultados via internet; 2. As pessoas apontadas como sócias e apoiadoras do PT não têm nenhuma ligação com a empresa.

No Facebook, o vídeo postado pela página Direita Goiás teve mais de 50 mil compartilhamentos e 910 mil visualizações. Vídeos e imagens postados em outras páginas e perfis pessoal também tiveram mais de 1.500 compartilhamentos. O conteúdo foi denunciado por usuários do Facebook e classificadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (entenda como funciona).

Confira abaixo, em detalhes, o que foi verificado.

FALSO

Empresa contratada pelo TSE para apuração dos votos tem ligação com o PT

A empresa CPD Consultoria, Planejamento e Desenvolvimento de Sistemas foi convocada pelo TSE na última semana para fazer a divulgação de informações sobre a apuração dos votos nas eleições do domingo. A empresa participou de uma licitação para a contratação do serviço de distribuição de informações públicas e aceleração de conteúdo não intrusivo, por via de disponibilização de uma rede de distribuição de conteúdos (Content Distribution Network -CDN) para replicação de informações dos portais da Justiça Eleitoral. A empresa vencedora foi a BRCloud Services Ltda, mas o contrato com ela foi rescindido este mês, segundo o TSE, por descumprimento contratual. “Em síntese, no primeiro turno da eleição deste ano a empresa não prestou adequadamente o serviço contratado, não ampliando a capacidade de acessos aos sites, gerando uma série de contratempos que impactaram a distribuição dos conteúdos gerados pela Justiça Eleitoral”, disse o tribunal em nota de esclarecimento. A segunda colocada do pregão, a CPD, foi então convocada e receberá R$ 532 mil pelo serviço.

O TSE também esclareceu que o serviço não faz parte do processo de apuração e de totalização das eleições — trata-se de uma ferramenta para ampliar a capacidade de acessos às páginas na internet dos tribunais eleitorais, devido ao grande número de visitantes durante o período eleitoral.

A CPD tem como sócios os irmãos Christian Leite Limp de Azevedo e Luciana Leite Limp de Azevedo. Mas as falsas publicações viralizaram dois perfis de redes sociais que não pertencem a eles, e sim a usuários com nomes parecidos, onde foram encontradas informações consideradas favoráveis a Fernando Haddad (PT) e contrárias a Jair Bolsonaro (PSL).

Ao Comprova, Christian Leite Limp de Azevedo afirmou que sequer tem perfil na rede social. . “Aquele perfil que acharam não é meu. Aquele Christian Azevedo não sou eu. O perfil que acharam também não é da minha irmã”, afirmou o empresário, que é filiado ao partido Novo segundo a relação do TSE.

O homem que foi confundido com ele é Christian Jesus Silva de Azevedo, que desde o dia 25 tem postado esclarecimentos na sua rede social afirmando que não tem ligação com a empresa. Segundo as informações de seu perfil, ele é professor de um curso preparatório para concursos e auditor fiscal da Receita Estadual do Rio Grande do Sul. “Sou auditor e professor. Não tenho e nunca tive empresa. O que estão fazendo é uma irresponsabilidade e uma maldade”, afirmou ele em uma postagem. De acordo com o Comprova, ele prestou queixa à Polícia Civil por conta dos ataques, ameaças e ofensas que vem recebendo.

Já o perfil de Luciana Sabino informa que ela é historiadora. Luciana Leite Limp de Azevedo, no entanto, a verdadeira sócia da CPD, é psicóloga com perfil ativo no Conselho Regional de Psicologia.

Compartilhe

Leia também

Ações clandestinas da ‘Abin paralela’ realçam violências reais

Ações clandestinas da ‘Abin paralela’ realçam violências reais

falsoIdosa foi presa por tráfico, não por participar dos atos golpistas do 8 de Janeiro

Idosa foi presa por tráfico, não por participar dos atos golpistas do 8 de Janeiro

falsoLula devolveu 423 presentes recebidos durante mandatos anteriores

Lula devolveu 423 presentes recebidos durante mandatos anteriores