É falso que Doria propôs redução de 20% nos salários de servidores

Por Luiz Fernando Menezes

24 de fevereiro de 2021, 16h27

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), não enviou à Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) proposta para reduzir em 20% o salário dos servidores. Além de não existir projeto com esse teor de autoria do governo paulista, o Palácio dos Bandeirantes negou a veracidade da alegação que circula nas redes sociais (veja aqui).

O conteúdo enganoso reunia cerca de 1.000 compartilhamentos nesta quarta-feira (24) e foi marcado com o selo FALSO na ferramenta de verificação do Facebook (saiba como funciona).


Conforme pode ser verificado na lista de proposições da assembleia, é falso que o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), apresentou projeto de lei para reduzir em 20% os salários do funcionalismo. Nenhuma das 14 propostas protocoladas pelo governo no Legislativo paulista em 2021 tinha esse propósito. Também não foi colocado nenhum texto semelhante na pauta da Alesp dos dias 22 e 23 de fevereiro. O Palácio dos Bandeirantes também desmentiu a alegação em nota.

A mensagem que vem sendo compartilhada nas redes nasceu como uma brincadeira no WhatsApp. O texto é acompanhado por dois links, um do site G1, que gerava a imagem da mensagem, e outro que leva a uma foto do deputado federal Tiririca (PL-SP) com os dizeres “é mentira, abestado”.

A piada, no entanto, saiu dos grupos de WhatsApp e passou a ser compartilhada em outras redes sociais apenas com reproduções de tela, o que impede usuários de acessarem o link que leva para a pegadinha.

No ano passado, a Alesp aprovou um projeto da própria Mesa Diretora para cortar em 20% o salários dos deputados, mas a medida não atingiu a remuneração dos servidores. Na mesma época, o deputado estadual Arthur do Val (Patriota-SP) encaminhou ao governo de São Paulo um projeto para reduzir o salário de todos os servidores públicos do estado que ganhassem mais de R$ 5 mil. O texto, no entanto, não foi colocado em votação.

O Boatos.org também checou esta peça de desinformação.

Referências:

1. Alesp (1, 2, 3, 4 e 5)

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.