🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

É falso que começar o banho molhando a cabeça pode causar ataque cardíaco

Por Priscila Pacheco

19 de agosto de 2020, 13h43

Não é verdade que começar a tomar banho molhando a cabeça pode causar um ataque cardíaco, conforme sustentam postagens nas redes sociais (veja aqui). Segundo a peça de desinformação, o correto seria molhar primeiro os pés, especialmente quem já tem problemas de saúde, como hipertensão. A alegação foi refutada por cardiologistas consultados por Aos Fatos.

Também não foram encontradas informações sobre o “professor de medicina dos EUA na Malásia” que teria divulgado a orientação. A foto das publicações foi ainda tirada de contexto: o registro é de 2018, mostra um coração de porco e costuma aparecer na internet em conteúdos sobre cisticercose, doença causada por verminoses.

No Facebook, a informação enganosa conta com ao menos 3.963 compartilhamentos nesta quarta-feira (19). O conteúdo foi marcado com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (entenda como funciona).


FALSO

Por que ataques cardíacos ocorrem com mais frequência no banheiro? Isso foi escrito por um professor de medicina dos EUA na Malásia, que aconselha que as pessoas não comecem a molhar a cabeça e os cabelos ao tomar banho, porque essa é uma sequência inversa. (...) A maneira correta de iniciar o banho 🚿 é começar molhando os pés, as pernas 🏃‍♂ (...) isso é especialmente recomendado para quem é hipertenso, tem altos níveis de colesterol e até sofre de enxaqueca.

É falso que começar o banho molhando a cabeça seja arriscado e facilite a ocorrência de ataques cardíacos, principalmente em pessoas com comorbidades, por exemplo, hipertensão. O texto compartilhado nas redes sociais ainda salienta que o correto seria iniciar o banho pelos pés, mas não indica o porquê. De acordo com o cardiologista do HCor (Hospital do Coração) Bernardo Noya não há nenhuma evidência publicada que relacione o início do ataque cardíaco com a forma de tomar banho.

Agnaldo Piscopo, cardiologista e integrante da Socesp (Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo), concorda. O médico trabalha com resgate e comenta que atende pessoas que tiveram parada cardíaca no banheiro, mas que isso tem relação com os sintomas, não com o banho.

“Geralmente, o ataque cardíaco vem com mal-estar, sensação de náusea, sudorese extrema, às vezes, sensação de que vai evacuar. E essas pessoas, por defesa, acabam procurando o banheiro. Algumas até tentam tomar banho por acharem que vão aliviar os sintomas”, explica Piscopo.

Aos Fatos também não encontrou informações sobre algum professor de medicina dos Estados Unidos que esteja na Malásia e tenha feito o aconselhamento, como afirmam as postagens. Por fim, a fotografia utilizada não mostra um coração humano após um ataque cardíaco, mas o órgão de um porco com cisticercose, doença causada por verminoses.

Por meio de busca reversa no Google, Aos Fatos verificou que a página Anatomia é publicou a imagem em 2018 em uma postagem sobre a cisticercose. Pesquisa usando a imagem e a palavra cisticercose também mostra imagens semelhantes de corações com bolhas.

A peça de desinformação também foi checada pela AFP.

Referências:

1. Facebook Anatomia é
2. AFP


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.