É falso que cidade gaúcha inaugurou parque inspirado na ‘ideologia de gênero’

Por Marco Faustino

3 de dezembro de 2021, 18h13

Não é verdade que um parque infantil temático inspirado na “ideologia de gênero” tenha sido inaugurado na cidade gaúcha Santa Etelvina do Guaíba, como afirmam publicações nas redes sociais (veja aqui). Não existe município brasileiro com esse nome nem político chamado Fellipe Weissfüder Garcia, que os posts alegam ser o prefeito. Além disso, a foto que mostra um escorrega em forma de genitálias é de um set de filmagem montado no Canadá em outubro deste ano.

O conteúdo enganoso acumulava ao menos mil compartilhamentos nesta sexta-feira (3), e também circula no WhatsApp (Fale com Fátima).


Selo falso

Não é verdade que uma cidade gaúcha com o nome Santa Etelvina do Guaíba, supostamente administrada por um prefeito chamado Fellipe Weissfüder Garcia, inaugurou um parque inspirado na “ideologia de gênero”, termo pejorativo usado para classificar pautas LGBTQIA+ e feministas. A cidade não existe, nem há registro de político brasileiro com esse nome. Inicialmente divulgada como uma postagem satírica, a peça de desinformação passou a ser compartilhada nas redes sociais como se fosse real.

A foto de um objeto vermelho no formato das genitálias masculina e feminina foi tirada em um parque no Canadá, em outubro de 2021, conforme verificado por Aos Fatos por meio de busca reversa por imagens. Na época, o objeto foi instalado temporariamente no Fletcher Park, na cidade de Maple Ridge, para a gravação (confira aqui e aqui) de um filme de comédia para adultos, ainda sem nome definido.

Um porta-voz da cidade canadense confirmou à AFP a instalação do objeto e afirmou que o local onde foi montado o set de filmagens permaneceu fechado ao público. Segundo a prefeitura local, a estrutura foi removida assim que as gravações terminaram.

De acordo com o IMDB, base de dados que compila informações sobre obras cinematográficas, o filme mostrará a saga de quatro mulheres que viajam em busca de uma de suas mães biológicas.

Outra evidência de falsidade da peça é que o Prona, citado como o partido político do suposto prefeito “de esquerda”, foi uma sigla de extrema direita extinta em 2006, quando se fundiu ao PL, atual partido do presidente Jair Bolsonaro.

Esta peça de desinformação também foi verificada pela Lupa.

Referências:

1. Aos Fatos
2. Governo Federal
3. Google
4. Daily Hive
5. Maple Ridge News
6. Vancouver Awesome
7. Twitter
8. AFP
9. IMDB


Aos Fatos integra o Third-Party Fact-Checking Partners, o programa
de verificação de fatos da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.