🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

É falso que bomba de poço inaugurado por Bolsonaro no RN foi retirada por prefeito

Por Luiz Fernando Menezes

1 de setembro de 2020, 13h49

Não é verdade que o prefeito de Ipanguaçu, no Rio Grande do Norte, mandou tirar a bomba de um poço artesiano inaugurado pelo presidente Jair Bolsonaro em 21 de agosto, como afirmam nas redes sociais (veja aqui). O equipamento foi instalado três dias depois da abertura do poço, seguindo o cronograma técnico, de acordo com a prefeitura local e o Ministério do Desenvolvimento Regional.

No Facebook, posts com o conteúdo enganoso reuniam mais de 175 mil compartilhamentos nesta terça-feira (1º) e foram marcados com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (veja como funciona). A informação falsa também circula no WhatsApp (receba as checagens), onde não é possível medir com precisão seu alcance.


FALSO

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) esteve em Ipanguaçu (RN) no dia 21 de agosto e participou da abertura de um poço artesiano em uma comunidade local. Dias depois, passou a circular nas redes sociais um vídeo em que uma moradora afirma que o poço estaria sem bomba e, portanto, não poderia oferecer água. Algumas publicações alegaram que o prefeito da cidade, Valderedo Bertoldo (PSDB), teria mandado retirar o equipamento para boicotar o presidente; já outras diziam que a inauguração tinha sido maquiada pelo governo federal para evidenciar Bolsonaro. Nenhuma das versões, no entanto, é correta.

A Prefeitura de Ipanguaçu afirmou que a abertura do poço aconteceu na mesma data da solenidade com a presença do presidente, 21 de agosto, mas a instalação da bomba fora planejada para 24 de agosto. De acordo com a assessoria do município, isso ocorreu pois o equipamento só poderia ser inserido no poço após a retirada do maquinário de perfuração. Um vídeo gravado pela prefeitura mostra o momento em que a bomba é instalada.

Agora, segundo o município, o poço está em fase de limpeza e a água extraída dele só é indicada para uso doméstico e animal. O consumo humano deve ser liberado em até 30 dias, após análise de qualidade. O período é necessário para remover por completo os produtos usados na perfuração.

As informações prestadas pela Prefeitura de Ipanguaçu foram corroboradas pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, responsável pela obra no âmbito federal: “a bomba que garantirá o abastecimento das residências foi adquirida pela Prefeitura Municipal de Ipanguaçu e instalada na segunda-feira (dia 24), conforme planejado no cronograma”.

Narrativas. No final de semana após a inauguração do poço artesiano, as postagens que circulavam nas redes sugeriam que a bomba teria sumido e que o evento foi maquiado para impulsionar a figura de Jair Bolsonaro no Nordeste. Nos últimos dias, entretanto, ganhou força a versão enganosa que culpa o prefeito de Ipanguaçu pelo “sumiço”, planejado para sabotar o governo federal.

O Estadão Verifica também desmentiu esta peça de desinformação.

Referências:

1. Planalto
2. AgoraRN (Fontes 1 e 2)

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.