É falso que Bolsonaro gastou apenas R$ 65 milhões com publicidade por ano

Por Luiz Fernando Menezes

15 de julho de 2022, 12h22

O governo de Jair Bolsonaro (PL) gastou em publicidade mais do que R$ 65 milhões por ano — valor informado em postagens nas redes sociais (veja aqui). O vídeo que traz essa desinformação alega que a despesa é muito menor do que a verificada quando Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Dilma Rousseff (PT) estavam no poder, o que também é falso. Segundo o TCU (Tribunal de Contas da União), Bolsonaro gastou R$ 1,14 bilhão em propaganda só em 2019.

A peça de desinformação foi publicada inicialmente no Kwai, onde acumula mais de 133 mil visualizações até a manhã desta sexta-feira (15). No Facebook, o vídeo já foi compartilhado mais de 12 mil vezes.


Selo falso

O Lula gastou R$ 1,1 bi por ano [com publicidade]. Dilma gastou R$ 2,25 [bi] por ano e o Bolsonaro gastou R$ 65 milhões por ano. Acho que tá bom, né, a diferença?

O comentarista Alexandre Pittoli, diretor-executivo da Jovem Pan News Bauru, omitiu despesas do atual governo e comparou dados diferentes ao afirmar que Jair Bolsonaro gasta muito menos do que as gestões petistas gastaram com propaganda. É falso, por exemplo, que o presidente destinou apenas R$ 250 milhões para essa finalidade ao longo do mandato, o que daria R$ 65 milhões por ano.

Só em 2019, primeiro ano do atual governo, os gastos com publicidade e propaganda dos órgãos públicos federais ultrapassaram R$ 935 milhões (ou R$ 1,14 bilhão, em valores corrigidos), conforme informou o relator das contas do governo no TCU, ministro Bruno Dantas, em junho de 2020. Esse valor, no entanto, é inferior ao gasto com publicidade do primeiro ano de Lula, de R$ 1,64 bilhão, e ao do primeiro ano de Dilma Rousseff, que totalizou R$ 3,14 bilhões, de acordo com o IAP (Instituto para Acompanhamento da Publicidade).

O comentarista cita dados presentes em uma reportagem publicada em junho de 2015 pelo UOL que compara os gastos de publicidade nos governos de Lula e Dilma. O texto usa os dados do IAP, que calculava a soma dos pedidos de inserção de anúncios enviados por órgãos e entidades públicas federais aos veículos de comunicação.

O IAP, no entanto, encerrou suas atividades em março de 2017, após as agências de publicidade que o financiavam decidirem cortar a verba. Desde então, não há nenhum órgão que faça um levantamento semelhante, e por isso só é possível comparar os dados de publicidade fornecidos pelo órgão entre 2000 e 2016.

Por mais que não haja levantamento que permita comparar os gastos de publicidade totais entre Lula, Dilma e Bolsonaro, é possível afirmar que o governo atual não gastou apenas R$ 250 milhões com propaganda. Só a publicidade da Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social), que não leva em conta a comunicação de outros órgãos do governo federal, totalizou R$ 611,3 milhões entre 2019 e este ano, em valores corrigidos pelo IPCA.

O valor citado na peça desinformativa é semelhante ao gasto do governo apenas com televisão, excluídas as despesas com outras mídias e de órgãos públicos ligados à administração federal, como Caixa Econômica, Banco do Brasil e Petrobras. Conforme já informou o Aos Fatos em checagem anterior, o portal Gestão Secom aponta que, de janeiro de 2019 até junho de 2022, a despesa somou cerca de R$ 258 milhões.

Outro lado. O comentarista Alexandre Pittoli, que é diretor-executivo da Jovem Pan News Bauru, e a emissora foram procurados pelo Aos Fatos, mas não responderam até a publicação desta checagem.

Referências:

1. Youtube (TCU)
2. UOL (1 e 2)
3. Poder 360
4. Secom
5. Aos Fatos


Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.