🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

É falso que Banco Mundial classificou Brasil como melhor país no combate à Covid-19

Por Luiz Fernando Menezes

7 de abril de 2020, 16h11

Não é verdade que o Banco Mundial publicou um documento no qual classifica o Brasil como o “melhor país no combate à Covid-19”, como afirmam sites e publicações nas redes sociais. A nota de orientação da instituição, divulgada no dia 30 de março, apenas destaca como adequada a medida adotada pelo governo brasileiro de reduzir a alíquota do imposto de importação sobre produtos antissépticos.

Primeira a difundir a desinformação, a publicação do site Conexão Política reunia mais de 5.000 compartilhamentos no Facebook até a tarde desta terça-feira (7). A página corrigiu o título enganoso da publicação posteriormente. Aos Fatos também identificou postagens que reproduzem trechos do conteúdo enganoso em páginas e sites como o Presidente Bolsonaro.com. Todos os conteúdos foram marcados com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (saiba como funciona).


FALSO

Banco Mundial classifica o Brasil como melhor país
no combate ao Covid-19.

Um texto publicado pelo site Conexão Política afirma que um documento do Banco Mundial "classificou o Brasil como melhor exemplo a ser seguido para lidar com o comércio internacional, visando minimizar o impacto da doença [Covid-19] na economia”. No entanto, em nenhum momento o documento ao qual a publicação se refere faz essa afirmação. O texto, que aborda gerenciamento de riscos e facilitação do comércio em meio à pandemia, menciona apenas a redução temporária da alíquota do imposto de importação sobre produtos antissépticos adotada pelo Brasil como um exemplo de “melhores práticas para lidar com a Covid-19”.

Além da medida brasileira, uma aprovação de orientações para a manutenção de fronteiras na União Europeia também foi destacada. O correto, portanto, seria afirmar que uma das políticas comerciais adotadas pelo Brasil no combate à pandemia foi destaque no documento do Banco Mundial, como fez o Ministério da Economia em artigo.

O relatório da organização também não faz qualquer classificação ou ranking de países com as melhores práticas. Ele tem como objetivo fornecer orientações iniciais de medidas de apoio e proteção aos funcionários da linha de frente no combate à Covid-19 e a facilitação ao comércio internacional seguro.

“Alguns países estão fechando as fronteiras e implementando medidas protecionistas, como restringir as exportações de suprimentos médicos críticos. Embora essas medidas possam, no curto prazo, proporcionar alguma redução imediata na propagação da doença, no médio prazo elas podem prejudicar a proteção da saúde, pois os países perdem o acesso a produtos essenciais para combater a pandemia”, diz a nota.

Em e-mail enviado ao Aos Fatos no dia 8 de abril, o Banco Mundial confirmou as informações da checagem: "o documento não oferece nenhum tipo de ranking entre países (melhor país ou pior país), e apenas enumera dois exemplos no mesmo box: o Brasil e a União Europeia".

Outro lado. Em e-mail enviado ao Aos Fatos na tarde desta terça-feira (7), o Conexão Política afirmou que "a informação foi publicada de maneira equivocada" e que publicou uma errata no texto.

Referência:

1. Diário Oficial da União
2. Ministério da Economia
3. Banco Mundial


Esta checagem foi atualizada às 14h25 do dia 8 de abril de 2020 para acrescentar a nota do Banco Mundial.

De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.