É falso que Bahia zerou fila de pacientes intubados com Covid-19 após anúncio de CPI

Por Priscila Pacheco

20 de abril de 2021, 14h11

Não é verdade que o anúncio da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar a gestão da pandemia fez a Bahia zerar a fila de pacientes de Covid-19 intubados à espera de UTIs (Unidades de Terapia Intensiva), como alegam posts nas redes sociais (veja aqui). Segundo o governo baiano, a demanda por transferências de UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) para leitos de terapia intensiva vinha caindo desde o início de março e chegou a zero em 13 de abril, data que coincide com a leitura do requerimento da CPI no Senado.

No Facebook, postagens enganosas reuniam ao menos 3.010 compartilhamentos nesta terça-feira (20) e foram marcadas com o selo FALSO da ferramenta de verificação da rede social (veja como funciona).


Após CPI no Senado colocar governadores na mira das investigações, um “milagre” ocorre na Bahia e a fila de pacientes intubados é zerada!!! @costa_rui, nos explica esse fenômeno. Todo mundo na regulação… foi só a CPI mirar governadores e prefeitos, então o “milagre” aconteceu.

Postagens que circulam nas redes sociais associam de maneira enganosa a criação da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) sobre a ação do governo na pandemia ao fato de a Bahia ter conseguido zerar a fila de pacientes com Covid-19 intubados em UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) à espera de UTIs (Unidades de Terapia Intensiva). Por mais que a demanda tenha sido zerada no mesmo dia em que o requerimento da comissão foi lido no Senado, 13 de abril, a queda começou em março.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde da Bahia, em março, 70 pessoas intubadas em UPAs aguardavam transferência para leitos de terapia intensiva. Ao longo dos dias, porém, o número foi sendo reduzido até chegar a zero em 13 de abril, de acordo com o órgão.

O governo baiano atribui a queda a um conjunto de ações para aumentar a capacidade de assistência aos pacientes de Covid-19, como campanhas educativas pelo distanciamento físico e pelo uso de máscaras, restrição de serviços não essenciais e abertura de 996 novos leitos na área exclusiva para Covid no estado, sendo 441 em UTIs.

A redução do número de pacientes intubados em UPAs à espera de UTIs reflete ainda uma diminuição generalizada da demanda represada por esses leitos, também observada desde março, conforme os boletins epidemiológicos da Bahia. No dia 12 do mês passado, por exemplo, eram 513 requisições. Dezenove dias depois, em 31 de março, o número já havia caído para 122, e na última segunda-feira (19), já eram 85 solicitações de transferência.

A CPI da Covid-19 a ser instalada nos próximos dias no Senado pretende apurar irregularidades e omissões da União na gestão da pandemia e no uso de recursos públicos, e também analisar a aplicação de repasses nos estados e municípios.

Referências:

1. Secretaria de Estado de Saúde da Bahia (Fontes 1, 2 e 3)
2. Site do Senado


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.