Doria não disse que quem deixar de tomar a CoronaVac pode passar Covid-19 para os já vacinados

Por Luiz Fernando Menezes

19 de outubro de 2020, 15h53

É falso que o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse que pessoas que não tomarem a CoronaVac, vacina contra a Covid-19 produzida pela Sinovac Biotech em parceria com o Instituto Butantan, podem infectar outras já imunizadas. O Aos Fatos não encontrou registros de declarações semelhantes, e a assessoria do tucano negou a autoria da frase, que vem viralizando em peças de desinformação (veja aqui).

Na coletiva de anúncio da obrigatoriedade da vacinação, ocorrida na tarde da última sexta-feira (16), o tucano afirmou que defende a imunização em massa porque “enquanto tivermos pessoas não vacinadas em larga escala, continuaremos tendo a presença do vírus, a contaminação e morte”.

A falsa declaração vem sendo compartilhada por perfis pessoais no Facebook e acumulam, até a tarde desta segunda-feira (19), mais de 8.000 compartilhamentos. Essas publicações foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (entenda como funciona).


FALSO

‘Não vou permitir que aqueles que não tomem a vacina passem corona para os que tomaram' - João Doria.

Circula nas redes sociais uma declaração atribuída ao governador de São Paulo, João Doria (PSDB), sobre pessoas não vacinadas transmitirem o novo coronavírus para quem já foi imunizado. De acordo com diversas publicações nas redes sociais, isso seria um indício de que a CoronaVac, vacina produzida pela Sinovac Biotech com o Instituto Butantan, seria ineficaz. No entanto, não há registro de que Doria tenha dito algo parecido.

O governador anunciou a obrigatoriedade da vacinação contra a Covid-19 em coletiva na última sexta-feira (16). A íntegra de sua fala sobre a decisão foi: “Em São Paulo, a vacinação será obrigatória. Exceto se, o habitante aqui, o cidadão, tiver uma orientação médica e um atestado médico que não pode tomar a vacina. E adotaremos as medidas legais se houver alguma contrariedade nesse sentido. Não é possível imaginar, e eu aprendi isso com os médicos, nós temos três aqui ao nosso lado, numa pandemia, vacinar alguns e não vacinar outros. Enquanto tivermos pessoas não vacinadas em larga escala, continuaremos tendo a presença do vírus, a contaminação e morte”.

O Aos Fatos também procurou pela declaração que vem sendo atribuída ao governador em suas redes sociais e na imprensa, mas não encontrou nenhum resultado. Em nota, a assessoria de Doria afirmou que a peça é falsa.

Importância da vacinação em massa. Em reportagem sobre a legislação que permite a decisão da obrigatoriedade da imunização, o Aos Fatos também explicou por que a vacinação em massa é importante: quanto mais pessoas imunizadas, menor é a chance do vírus se espalhar pela comunidade.

Conforme explicou Flávio Guimarães Fonseca, pesquisador do CT Vacinas (Centro de Tecnologia de Vacinas) da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), “se a maior parte das pessoas está vacinada e tem resposta imunológica contra aquela doença, essas pessoas começam a funcionar como barreira, inclusive para aquelas que não foram vacinadas. Isso diminui a circulação do vírus na população”, afirma.

Referências:

1. Governo do Estado de São Paulo
2. Twitter (@jdoriajr)
3. Aos Fatos

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.