José Dirceu não disse em entrevista que Bolsonaro perderá eleição por oposição do TSE

Por Priscila Pacheco

8 de junho de 2022, 18h34

Postagens nas redes sociais enganam ao dizer que José Dirceu (PT), ex-ministro do governo Lula, afirmou que Jair Bolsonaro (PL) não ganhará a eleição porque o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) já se manifestou contra o presidente (veja aqui). Na entrevista citada, dada por Dirceu em agosto de 2021, o petista cita motivos para o isolamento de Bolsonaro, entre eles, manifestações de ex-presidentes do TSE e do empresariado. Também é falso que a apuração seja secreta: os boletins de urna são enviados para um sistema do TSE onde os votos são totalizados, mas todos ficam disponíveis para conferência nas respectivas zonas eleitorais.

O conteúdo enganoso conta com centenas de compartilhamentos no Facebook nesta quarta-feira (8) e tem sido disseminado no WhatsApp (fale com a Fátima), onde não é possível mensurar o seu alcance.


Selo não é bem assim

José Dirceu: “Bolsonaro não ganhará as eleições porque todo o TSE e seus ex-presidentes já se manifestaram contra ele.”

Postagem atribui frase falsa a José Dirceu

José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil do governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), não afirmou que “Bolsonaro não ganhará as eleições porque todo o TSE e seus ex-presidentes já se manifestaram contra ele”. A fala compartilhada nas redes sociais distorce trecho de entrevista concedida ao vivo em 13 de agosto do ano passado ao canal oficial do PT no YouTube, em que Dirceu não cita contagem de votos nem afirma que a corte eleitoral está contra o presidente.

Na ocasião, Dirceu respondia se acreditava que a CPI da Covid-19 poderia ocasionar um processo de impeachment contra Jair Bolsonaro (PL). A partir de 24 minutos e 54 segundos, ele afirma que não havia votos suficientes para aprovar o impedimento, mas, na sua opinião, o presidente estava isolado e não teria condições de vencer um segundo turno para se reeleger. Nesse momento, ele citou o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e seus ex-presidentes. Confira a fala na íntegra:

“Se, por um lado, tudo indica que não há uma maioria no parlamento para fazer o impedimento do presidente, também, por outro lado, ele está absolutamente isolado na sociedade brasileira. É verdade que ele tem um eleitorado conservador. O eleitorado que vai apoiá-lo. Ele abraçou ideias desse eleitorado, inclusive com relação à questão da moral, da família, da religião. Ele procura explorar a questão da pátria, de Deus, da família, mas ele não vencerá a eleição nesse país no segundo turno. Porque, se você observar, depois da manifestação de todo o TSE, de todos os ex-presidentes do TSE, do empresariado, praticamente assim da burguesia brasileira. Depois do repúdio que o Bolsonaro tem entre artistas, intelectuais, cientistas, acadêmicos. A rejeição entre as mulheres, os jovens, os negros e negras e a ampla reprovação do seu governo pelo país.”

Dirceu não especifica a qual manifestação se referia. Em 2 de agosto, 11 dias antes da entrevista do ex-ministro, todos os ex-presidentes da corte eleitoral desde 1988 assinaram um documento em defesa das urnas eletrônicas, e o TSE pediu ao STF (Supremo Tribunal Federal) investigação sobre o presidente por disseminação de informações enganosas sobre urnas. Conforme o Aos Fatos investigou, entre setembro de 2018 e junho deste ano, Bolsonaro já fez 84 alegações sobre fraudes nas urnas e fragilidades no sistema nunca comprovadas.

Além disso, a contagem de votos não é feita de forma secreta no TSE. Ao fim da votação, as informações dos cartões de memória das urnas são transmitidas das zonas eleitorais aos TREs (Tribunais Regionais Eleitorais) por meio de uma rede privada, restrita à Justiça Eleitoral. Depois disso, um sistema soma os votos. Também são impressos, ao fim do horário de votação, cópias dos boletins de urna com os resultados, que são afixadas nas zonas eleitorais e ficam disponíveis para conferência e auditoria de todos os cidadãos, inclusive dos fiscais dos partidos. Esses boletins, em 2022, ficarão disponíveis online em tempo real.

Não há registro de que José Dirceu tenha dito que o TSE é contrário ao ex-presidente e sua reeleição. Procurado por Aos Fatos, o ex-ministro não respondeu até a publicação desta checagem.

Referências:

1. YouTube PT

2. TSE (Fontes 1 e 2)
3. G1
4. Aos Fatos (Fontes 1 e 2)


Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.