Desabastecimento de supermercado na Bélgica não foi causado por lockdown

Por Marco Faustino

3 de novembro de 2021, 12h40

Não é verdade que o lockdown causou desabastecimento de um supermercado na Bélgica, como afirmam publicações nas redes sociais (veja aqui). O vídeo compartilhado pelas peças de desinformação mostra a falta de produtos em um Carrefour de Bruxelas decorrente de uma greve ocorrida em um centro de distribuição em setembro. De acordo com a assessoria de imprensa da rede no Brasil, nenhuma de suas unidades no mundo teve problema de abastecimento devido a medidas restritivas contra a Covid-19.

O conteúdo enganoso acumulava ao menos 26.000 compartilhamentos em publicações no Facebook nesta quarta-feira (3).


Selo falso

Lockdown, fecha tudo, não produz nada, a economia a gente vê depois" - O "depois" está chegando... (Vídeo da Bélgica) 08.10.2021

É enganosa a afirmação que circula nas redes de que o lockdown, uma das medidas mais restritivas de circulação contra a Covid-19, causou o desabastecimento de um supermercado na Bélgica. A falta de alimentos registrada em vídeo compartilhado pelas peças de desinformação ocorreu devido a uma greve de funcionários de um centro de distribuição da Kuehne+Nagel, transportadora responsável pelo fornecimento de suprimentos da rede Carrefour no país.

Por telefone, a assessoria do Carrefour Brasil confirmou ao Aos Fatos que o vídeo foi gravado em uma loja da rede em Bruxelas, capital da Bélgica, e que a razão da falta de produtos foi a greve de funcionários da transportadora terceirizada. A empresa negou que tenha havido desabastecimento em qualquer unidade da rede ao redor do mundo devido a medidas restritivas contra a Covid-19.

Além disso, desde junho, não há qualquer medida que restrinja o funcionamento de setores econômicos na Bélgica por causa da pandemia. Com mais de 85% da população com o esquema vacinal completo, atualmente é necessário apresentar o CST (Covid Safe Ticket), uma espécie de passaporte vacinal contra a Covid-19, e utilizar máscaras faciais para entrar em lojas e demais espaços públicos fechados.

Greve. Em 22 de setembro, os funcionários da Kuehne+Nagel anunciaram uma paralisação em protesto contra o fechamento de um centro de distribuição em Nivelles, a 41 km da capital belga, e a possível demissão de 549 pessoas, segundo o jornal belga Le Soir. A greve provocou escassez de alimentos principalmente em Bruxelas e na região da Valônia. Embora os caminhoneiros tenham voltado à atividade em 12 de outubro, unidades do mercado continuaram sofrendo com a escassez de produtos

No vídeo compartilhado pelas peças de desinformação, uma voz feminina não identificada pelo Aos Fatos demonstra espanto ao mostrar prateleiras vazias de um supermercado, mas não diz o local ou a razão da falta dos produtos. Em outro trecho da gravação que circula nas redes, a mesma pessoa diz se tratar de uma unidade do Carrefour em Bruxelas, mas também não menciona o motivo do desabastecimento ou a data da filmagem. O Aos Fatos verificou que o vídeo circula desde o início de outubro deste ano.

Esta peça de desinformação também foi checada pelo Boatos.org, Estadão Verifica e Lupa.

Referências:

1. Brussels Times (Fontes 1, 2 e 3)
2. Info Coronavirus
3. Washington Post
4. Le Soir
5. RTL
6. La Libre
7. Retail Detail


Aos Fatos integra o Third-Party Fact-Checking Partners, o programa
de verificação de fatos do Facebook. Veja aqui como funciona a parceria


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.