Declaração de Lula de 2011 é alterada para incluir críticas às Forças Armadas

Compartilhe

Uma declaração de 2011 do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi alterada para incluir críticas aos militares e circula nas redes (veja aqui). Na fala original, o petista disse, sobre a ida de Celso Amorim para o Ministério da Defesa no governo Dilma: "Eu não sei se cabe aos militares gostarem ou não gostarem. Ela é a chefe suprema das Forças Armadas. Indicou o ministro e acabou. Não se discute”. A versão alterada insere outras frases, como "estou cagando e andando para esses caras" e "não tenho medo deles".

No Facebook, publicações com a declaração enganosa acumulavam ao menos 1.222 compartilhamentos nesta quarta-feira (14) e foram marcadas com o selo FALSO da ferramenta de verificação da rede social (saiba como funciona).


Lula em relação aos militares. “Eu não sei se cabe a esses militares gostarem ou não gostarem. Ela (Dilma) é a Chefe Suprema das Forças Armadas. Indicou o ministro e acabou. Não se discute. Estou cagando e andando para esses caras (os militares). No meu governo tiveram que me aguentar e viviam me enchendo o saco pedindo migalhas de reajuste. Pediam uma coisa. Eu enrolava e nunca dava o que eles pediam. Depois dava uma esmola qualquer e não me sacaneavam mais. Não tenho medo deles. Nunca tive. Ele (Celso Amorim) vai dar um jeito naquele troço (Ministério da Defesa)”. Do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em agosto de 2011, diante da reação negativa dos militares à escolha de Celso Amorim para comandar o Ministério da Defesa.

Postagens nas redes sociais veiculam uma declaração adulterada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para fazer crer que ele fez críticas agressivas aos militares. À fala original, reportada pela imprensa em agosto de 2011 e no contexto da nomeação de Celso Amorim para o Ministério da Defesa no governo Dilma, foram acrescentadas outras frases que não foram ditas pelo petista, como Aos Fatos verificou.

Em agosto de 2011, a então presidente Dilma Rousseff (PT) escolheu o embaixador para substituir Nelson Jobim no Ministério da Defesa, e a escolha foi criticada por militares. Questionado por jornalistas sobre as críticas, Lula respondeu: “Eu não sei se cabe aos militares gostarem ou não gostarem. Ela [Dilma Rousseff] é a chefe suprema das Forças Armadas. Indicou o ministro e acabou. Não se discute”. A declaração foi registrada no Estadão, no G1 e na Folha e foi dada após o petista dar uma palestra sobre desnutrição infantil da Fundación Éxito, em Bogotá, na Colômbia.

O trecho reportado pela imprensa em 2011 circula agora nos posts nas redes sociais com outras frases que não foram ditas pelo petista, como "estou cagando e andando para esses caras. No meu governo tiveram que me aguentar e viviam me enchendo o saco pedindo migalhas de reajuste. Pediam uma coisa. Eu enrolava e nunca dava o que eles pediam. Depois dava uma esmola qualquer e não me sacaneavam mais".

Referências

  1. Uol
  2. Folha de S. Paulo (1 e 2)
  3. Estadão
  4. G1
  5. El Universal

Compartilhe

Leia também

Por um uso ético da IA no jornalismo

Por um uso ético da IA no jornalismo

falsoBolsonaro não admitiu em áudio participação de Flávio em ‘rachadinha’

Bolsonaro não admitiu em áudio participação de Flávio em ‘rachadinha’

falsoFilho de Lula não comprou a Azul Linhas Aéreas

Filho de Lula não comprou a Azul Linhas Aéreas