Declaração de Lula de 2011 é alterada para incluir críticas às Forças Armadas

Por Priscila Pacheco

14 de julho de 2021, 17h51

Uma declaração de 2011 do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi alterada para incluir críticas aos militares e circula nas redes (veja aqui). Na fala original, o petista disse, sobre a ida de Celso Amorim para o Ministério da Defesa no governo Dilma: "Eu não sei se cabe aos militares gostarem ou não gostarem. Ela é a chefe suprema das Forças Armadas. Indicou o ministro e acabou. Não se discute”. A versão alterada insere outras frases, como "estou cagando e andando para esses caras" e "não tenho medo deles".

No Facebook, publicações com a declaração enganosa acumulavam ao menos 1.222 compartilhamentos nesta quarta-feira (14) e foram marcadas com o selo FALSO da ferramenta de verificação da rede social (saiba como funciona).


Lula em relação aos militares. “Eu não sei se cabe a esses militares gostarem ou não gostarem. Ela (Dilma) é a Chefe Suprema das Forças Armadas. Indicou o ministro e acabou. Não se discute. Estou cagando e andando para esses caras (os militares). No meu governo tiveram que me aguentar e viviam me enchendo o saco pedindo migalhas de reajuste. Pediam uma coisa. Eu enrolava e nunca dava o que eles pediam. Depois dava uma esmola qualquer e não me sacaneavam mais. Não tenho medo deles. Nunca tive. Ele (Celso Amorim) vai dar um jeito naquele troço (Ministério da Defesa)”. Do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em agosto de 2011, diante da reação negativa dos militares à escolha de Celso Amorim para comandar o Ministério da Defesa.

Postagens nas redes sociais veiculam uma declaração adulterada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para fazer crer que ele fez críticas agressivas aos militares. À fala original, reportada pela imprensa em agosto de 2011 e no contexto da nomeação de Celso Amorim para o Ministério da Defesa no governo Dilma, foram acrescentadas outras frases que não foram ditas pelo petista, como Aos Fatos verificou.

Em agosto de 2011, a então presidente Dilma Rousseff (PT) escolheu o embaixador para substituir Nelson Jobim no Ministério da Defesa, e a escolha foi criticada por militares. Questionado por jornalistas sobre as críticas, Lula respondeu: “Eu não sei se cabe aos militares gostarem ou não gostarem. Ela [Dilma Rousseff] é a chefe suprema das Forças Armadas. Indicou o ministro e acabou. Não se discute”. A declaração foi registrada no Estadão, no G1 e na Folha e foi dada após o petista dar uma palestra sobre desnutrição infantil da Fundación Éxito, em Bogotá, na Colômbia.

O trecho reportado pela imprensa em 2011 circula agora nos posts nas redes sociais com outras frases que não foram ditas pelo petista, como "estou cagando e andando para esses caras. No meu governo tiveram que me aguentar e viviam me enchendo o saco pedindo migalhas de reajuste. Pediam uma coisa. Eu enrolava e nunca dava o que eles pediam. Depois dava uma esmola qualquer e não me sacaneavam mais".

Referências:

1. Uol
2. Folha de S. Paulo (Fontes 1 e 2)
3. Estadão
4. G1
5. El Universal

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.